Cachoeira Santa Bárbara: Chapada dos Veadeiros

Leia também: Cachoeira Santa Bárbara, em Cavalcante

Cachoeira Santa Bárbara. O nome dessa cachoeira em Cavalcante, Goiás, estava entre as mais comentadas durante nossa viagem para a Chapada dos Veadeiros. Os comentários no Instagram falavam que não deveriam perder ela por nada.

E mesmo que existam várias outras cachoeiras lindas na região, é para Santa Bárbara que todo mundo quer ir. Mas chegar lá envolve muita estrada de terra e uma logística um pouco complicada. Quem já foi, promete que vale a pena.

Bora conferir afinal o que é que Santa Bárbara tem e se vale mesmo escolher essa dentre tantas cachoeiras incríveis na Chapada dos Veadeiros.

Cachoeira Santa Bárbara, Cavalcante – Uma das jóias da Chapada dos Veadeiros

De águas cristalinas que variam em tons de azul e verde, Santa Bárbara é uma das cachoeiras mais bonitas da Chapada

Diante de uma cachoeira enorme e um poço com uma das águas mais azuis (ou seria verde) que eu já vi, crio coragem.

A água do poço é bem clarinha e o convite para mergulhar é irresistível. Vou nadando para o fundo e quando eu vejo, o poço não dava mais pé. Não sei nadar.

Em qualquer outro lugar, eu teria ficado desesperado e buscado imediatamente algum lugar para me apoiar. Em Santa Bárbara, eu simplesmente relaxei e comecei a bater os pés. Fiquei assim algum tempo, sem afundar, enquanto o Cleber preparava a câmera fotográfica para tirar uma foto minha.

Nunca foi tão fácil aprender a nadar. Mas lógico, já em outra cachoeira eu estava novamente com medo e com dificuldade de me jogar em águas mais profundas. O encanto durou apenas durante aquele breve momento nas águas de Santa Bárbara.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante

Como Chegar na Cachoeira Santa Bárbara

Antes de tudo isso, vale a dica. Acorde cedo. Eu e Cleber estávamos hospedados em Alto Paraíso e saímos quase 9h da nossa pousada em direção a Cavalcante.

A estrada de Alto Paraíso até Cavalcante é bem tranquila e fomos numa boa, chegando lá por volta das 10h. Chegando na cidade você encontra um Centro de Atendimento ao Turista. Você pode optar ali por contratar um guia, não sei exatamente como funciona, mas pode ser uma alternativa caso esteja sem carro.

No seu carro próprio, é só seguir pela rua lateral da direita ao CAT. Quase chegando num posto de gasolina, é preciso virar à direita. Mas nem se preocupe em anotar essas instruções, todo mundo é super solícito e na dúvida, é só pedir uma informação (só não peça para os guias).

Seguindo as instruções, afinal acaba o asfalto e começa estrada de terra. Se você der azar de ficar atrás de outro carro, como foi o nosso caso, vai comer muita poeira.

Por esse caminho, vão mais 30 minutos de carro até chegar no acesso à Comunidade Kalunga, a maior remanescente de quilombo do Brasil. São cerca de 600 pessoas vivendo no lugar, descendentes de escravos. Não há como chegar, sem carro.

Quanto custa e como funciona: taxa de entrada e guia

É preciso parar num ponto de apoio onde você paga a taxa de R$ 20,00 por pessoa e começa a ser acompanhado por um guia da comunidade. O que nos recebeu cobrou R$ 80,00 (foi espertinho, o preço normal é R$ 70,00, mas ninguém no nosso grupo reclamou, então deixei quieto). Conseguimos dividir o valor para um grupo de 6 pessoas, mas é possível rachar em até 10 pessoas.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Centro de apoio na Comunidade Kalunga, onde é preciso pagar a taxa de visitação e se encaixar num grupo guiado

O nosso guia era de poucas, mas muito poucas palavras. Muito difícil que ele falasse alguma coisa, então funcionou mais para nos levar nos lugares do que propriamente para passar informações.

A primeira parada foi no Restaurante Rancho Kalunga, onde encomendamos o almoço. Tinha tanta coisa que eu nem conseguiria reproduzir, mas basicamente comida orgânica, com galinha caipira, feijão, peixe frito, mandioca frita, entre outros. O almoço custa R$ 30,00 e cada um pode se servir à vontade. Encomendamos e seguimos mais estrada de terra.

Até aí estávamos fazendo tudo com nosso carro de passeio, mas há um trecho em que o negócio complica. Foi preciso deixar o carro para seguir o restante do caminho num pau de arara. Os mais corajosos e experientes seguem em seus carros e conseguem chegar sim, mas nós preferimos nem arriscar. Melhor somente para carros com tração: esse caminho final está em péssimas condições.

O trajeto no pau de arara custa R$ 5,00 por pessoa (R$ 10,00 ida e volta).

O que fazer na Chapada dos Veadeiros – Top 10 Passeios Imperdíveis

A trilha até a Cachoeira Santa Bárbara

Após o pau de arara, hora de finalmente colocar os pés no chão e começar a trilha.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Trilha aberta no caminho até Santa Bárbara

Boa parte dela é feita numa área aberta (cuidado com o sol forte), percorrendo caminhos bem delimitados. Depois, quando entramos na mata, é preciso um pouco de habilidade para andar sobre pedras e galhos de árvores.

Nada muito complicado e que se resolve em 30 minutos de trilha, no máximo.

Cachoeira Santa Barbarinha

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Santa Barbarinha, uma pequena cachoeira antes de Santa Bárbara: se conseguir resistir, passe direto para a queda principal

A primeira parada é na Cachoeira Santa Barbarinha, menor do que sua irmã mais famosa, mas igualmente encantadora. O tom da água é de cair o queixo.

Fizemos uma parada para mergulho nessa, algumas fotos e seguimos para a tão aguardada Santa Bárbara.

Se tiver bastante força de vontade, não pare na Santa Barbarinha e siga direto para Santa Bárbara para ter mais tempo de aproveitar a cachoeira principal. O tempo lá é contado e passa voando.

Melhor horário

O visual na chegada deixa a gente atônito.

Esses lugares muito famosos e bonitos me deixam um pouco surtado e saio tirando fotos, muitas delas repetidas, para ter certeza que registrei bem o lugar.

Uma enome queda e um poço com a água em tons azul esverdeados, formando um visual incrível.

Lembra que falamos que é preciso chegar cedo? Nós chegamos por volta das 12h e o sol já estava quase sumindo da lagoa. Melhor apostar em chegar por volta das 10h (e provavelmente a cachoeira estará mais vazia).

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
As lindas tonalidades da Cachoeira Santa Bárbara: quanto mais cedo, maior a área iluminada pelo sol

Nadando sem saber nadar

Depois de tirar as fotos do Cleber e algumas nossas com ajuda do grupo que nos acompanhava com o guia, fui lá eu me jogar nas águas de Santa Bárbara, sem medo de não tocar meus pés no chão e buscando habilidades de nadar de não sei de onde.

No final das contas, mesmo no meio do poço, existem alguns pontos onde dá para ficar em pé, o que me encantou ainda mais por essa cachoeira.

O tempo passou voando e quando estávamos nos animando com as fotos com o Dome, já era hora de partir.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Nas águas de Santa Bárbara: beleza irresistível para um banho

Cachoeira da Capivara

Isso porque ainda tinha mais uma cachoeira no roteiro, já incluso naquele valor que tínhamos pago.

Faz a trilha de volta, pega o pau de arara, pega o carro de cada um, cruza o restaurante mas ainda não é hora de almoçar, estaciona o carro, faz uma nova trilha, sobe morro, atravessa rio e pronto. Fácil fácil #sqn a gente chega na Cachoeira da Capivara.

Novamente rolou um uau, principalmente dos nosso colegas de trilha, que curtiram mais essa do que a Santa Bárbara.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Cachoeira da Capivara, também em Cavalcante, também é muito bonita

A Cachoeira da Capivara é realmente muito bonita, com uma queda em vários níveis e um poço de água cristalina. Aliás, rola outra queda escondinha num dos cantos, ainda mais alta do que na Santa Bárbara.

O lugar tem vários cantinhos legais para curtir, desde o próprio poço, chegar debaixo das cachoeiras ou andar pelas pedras para ver a água desabar em nova queda, um pouco mais adiante. Apesar de ter gostado muito da Capivara, Santa Bárbara ainda foi a estrela do dia.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Curtindo a Cachoeira da Capivara

Conclusão: Santa Bárbara é a melhor cachoeira da Chapada dos Veadeiros?

Mas confesso que achei Santa Bárbara um pouco superestimada.

Talvez aquele efeito de quando muita gente fala de um lugar, você acaba esperando demais. Talvez pelo fato de termos chegado tarde, da cachoeira não estar tão vazia, ou simplesmente porque é uma questão de gosto, e cada um tem o seu.

Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara: Chapada dos Veadeiros, Cavalcante
Seria a Cachoeira Santa Bárbara a mais bonita da Chapada dos Veadeiros: é maravilhosa, mas para mim não é a melhor

Afinal, que bom que nem todo mundo gosta da mesma cachoeira. Tem muita gente que procura estimular cachoeiras alternativas, já que Santa Bárbara está cada vez mais cheia por causa de sua fama. Mas de qualquer forma, sempre vou lembrar de como saí nadando por suas águas, mesmo sem saber nadar.

E depois de tudo, lá pelas 16h finalmente chegou a hora do nosso almoço na Comunidade Kalunga, simples mas uma delícia. E fomos embora, que ainda tínhamos muita estrada de volta pela frente.

No final das contas, ficou aquela sensação de que sim, a cachoeira Santa Bárbara é maravilhosa, mas para quem estava hospedado em Alto Paraíso como nós, ficou um pouquinho de dúvida se todo aquele trampo valeu a pena. Enfim, depois me conta o que você achou.

Confira nosso guia completo: Chapada dos Veadeiros – Dicas e Roteiro de Viagem

Leia também: Cachoeira Almécegas

FICHA TÉCNICA:

Passeio: Cachoeira Santa Bárbara e Cachoeira da Capivara
Direção: Cavalcante, Chapada dos Veadeiros
Produção: R$ 20,00 por pessoa + R$ 70,00 de guia (pode ser dividido em 6 pessoas)
Fotografia: Fabio Pastorello
O melhor: Os tons de azul e verde da Cachoeira Santa Bárbara são impressionantes
O pior: Para quem está hospedado em Alto Paraíso, o trajeto de estrada é bem longo (inclusive estrada de terra), vá preparado para dirigir muito
Ano: 2017
País: Brasil
Avaliação: ★★★★★


Leia mais sobre a Cachoeira Santa Bárbara no Raízes do Mundo e no Vida sem Paredes

12 comentários

  1. Concordo com a sua opinião, é sim uma Cachoeira maravilhosa mas Tirando a cor, o conjunto a torna uma cachoeira comum em vista das outras da Chapada ( Couros, Segredo, Sertão Zen e Macacão ainda são infinitamente mais bonitas) e o número desenfreado de turistas invadindo aquele ambiente tão pequeno tem reforçado isso.
    Já tive a chance de visitar essa cachoeira em diferentes épocas já peguei ela vazia e com sol e lotada com água turva nas duas vezes a Capivara foi o ponto alto do dia.
    Sobre valer a pena só indo pra saber eu recomendo bastante.

    1. Oi Wesley. Obrigado por compartilhar sua opinião. Assim como você, eu sempre recomendo ir até lá, assim cada um pode tirar a sua própria conclusão. Mas que Santa Bárbara é fotogênica, isso é demais né? Abraço grande.

  2. Nunca tinha ouvido falar nessa cachoeira e fiquei impressionada com as cores e o cristalino dessa água! Entrou para a minha bucketlist!
    Há tantos lugares lindos no Brasil para serem explorados!

  3. Sou louca para conhecer a Chapada dos Veadeiros.
    Estava esperando o pequeno crescer um pouco, mas acho que agora já seria bem tranqüilo visitar a região com ele.
    Lindas fotos.
    Abraços,

  4. Eu sempre vejo a foto desta cachoeira no IG e fico com meeega vontade de conhecer!!
    Só não sabia que rolava toda essa peregrinação pra chegar até lá! hahaha

    Ahhh… Achei a Cachoeira da Capivara bem linda também! Nunca tinha ouvido falar desta!

    Abraço!

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.