Nova York: Empire State ou Top of the Rock

Quem visita Nova York só tem uma certeza. É preciso subir ao topo do Empire State Building, um dos grandes símbolos da cidade, para conferir o visual lá de cima.

Mas é preciso paciência para enfrentar as filas, que podem demorar horas. Eis que surge uma alternativa, o Top of the Rock, no alto do Rockefeller Center, outro mirante para a cidade. Mas e agora, como ficamos? Visito o Empire State ou o Top of the Rock?

O que era certeza virou uma questão. Diante dessa dúvida, resolvi ter a brilhante e original de ideia de contrapor essas duas atrações desse post.

Lógico que na blogosfera essa ideia já foi bastante explorada, então nesse post não farei nada de original, senão fazer o que mais gosto de fazer nesse blog: compartilhar algumas dicas, fotos e experiências de nossa visita a essas duas atrações da Big Apple para que você decida: qual a melhor vista de Nova York?

Empire State Building ou Top of the Rock

Qual a melhor vista de Nova York?

 

O Empire State Building, visto do Rockefeller Center

A grande pegadinha, como você viu na foto acima, é que você só tem a vista de Nova York com o Empire State Building a partir do Rockefeller Center (Top of the Rock). Se você foi a Paris e já ficou no dilema entre as vistas da Torre Eiffel e da Torre Montparnasse, também entendeu isso. O único problema da vista da Torre Eiffel é que você não vê a Torre Eiffel ilustrando Paris.

Mas existem outros vários prós e contras de visitar o Empire State ou o Top of the Rock. Confira.

Prós e Contras

Top of the Rock

  • É mais vazio que o Empire State. Isso significa filas bem menores, tanto para comprar o ingresso como para subir o elevador.
  • Quando você chega no alto, o espaço para tirar fotos também é bem mais amplo, não é preciso batalhar para conseguir um lugar ao sol, ou seja, próximo da vista.
  • Você consegue tirar fotos sem as grades do Empire State. Em alguns lugares existem vidros e em outros apenas uma mureta. É bem melhor para tirar retratos com a paisagem da cidade ao fundo.
  • É mais baixo que o Empire State, por conta disso a vista não é tão bonita.
  • Por outro lado, a vista da cidade incluirá o prédio do Empire State Building.
Espaço à vontade para tirar as suas fotos, no Top of the Rock

Empire State Building

  • É muuuuuito cheio, filas para entrar, filas para subir os elevadores e um monte de gente disputando lugares para ficar pertinho da grade e conseguir uma vista da cidade.
  • A vista é mais bonita do que no Top of the Rock, pelo fato do prédio ser mais alto.
  • A vista para Downtown e o novo prédio do World Trade Center é bem melhor do que no Top of the Rock. Dá até para ver a Estátua da Liberdade.
  • Não dá para tirar retratos, quer dizer, até dá, mas sairão com uma grade atrás de você, o que não é legal.
  • O lugar é um dos símbolos de Nova York, vários filmes já foram rodados no local, então visitar o Empire State é o sonho de consumo de todo turista por lá. Se você voltar sem ter ido lá, corre o sério risco de ser recriminado por todo mundo.
Prepara-se para batalhar com empenho um lugar perto da grade no Empire State

É difícil escolher entre os dois. Eu pessoalmente recomendo que os dois sejam visitados. Agora, se você preferir escolher somente um, deve avaliar os prós e contras. Você prefere ver a melhor vista de Nova York com uma multidão disputando lugares e, por conta disso, de forma mais breve e atribulada, ou prefere um lugar mais tranquilo, que embora a vista não seja tão boa, pelo menos você terá mais tranquilidade para curtir o visual? 

Ainda ficou na dúvida? Vamos conferir então todas as informações e fotos da nossa visita a essas duas atrações imperdíveis de Nova York. Quem sabe te ajuda.

TOP OF THE ROCK – ROCKEFELLER CENTER

Como Chegar

O Top of the Rock fica entre a 49th e a 50th Street e entre a Quinta e a Sexta Avenida, numa região conhecida como Midtown, justamente porque fica no meio de Manhattan. O Top of the Rock fica no complexo de prédios do Rockefeller Center. A estação de metrô mais próxima é a 47-50th Rockefeller Center, servida pelas linhas B, D, F e M.

Quando chegamos, ficamos um pouco confusos com a quantidade de prédios, mas o prédio principal do Rockefeller, o GE Building, é inconfundível e onde você verá a maior parte do movimento. Entrando nele, você caminha por um hall e desce algumas escadas. Há uma série de lojas na parte subterrânea (Concourse Level), entre elas a bilheteria do Top of the Rock.

Outra opção é também procurar pelas indicações de Observation Deck.

Uma das entradas para o Top of the Rock (Foto: http://www.topoftherocknyc.com/experience/)

No interior do GE Building você também encontra alguns cafés (Starbucks, por exemplo), lanchonetes (tem um Subway próximo da saída para o metrô) e outras lojas diversas.


Exibir mapa ampliado

Quanto custa

O preço do ingresso para o Top of the Rock custa $ 27,00 dólares para adultos e $17,00 para crianças. (ref. out/2013). Existe também a opção de comprar um combo ticket, que também inclui uma visita guiada pelo prédio do Rockefeller com um audio guide, porém só disponível em inglês.

Na compra, é preciso informar (e cumprir) a hora da sua visita, o que é meio chato para quem irá comprar com antecedência. Na hora que visitamos, havia uma pequena fila, de cerca de 10 pessoas, e a fila não durou mais do que 10 minutos, então acho que a compra do ingresso com antecedência seria mais recomendada para o Empire State Building.

Bilheteria do Top of the Rock (Foto: http://www.topoftherocknyc.com/experience/)

Outra opção é comprar o New York City Pass, que dá direito a visitar 6 atrações em Nova York, entre elas o Top of the Rock e o Empire State. Confira mais como funciona nessa matéria do site Falando de Viagem.

O mirante funciona das 8h da manhã até a meia noite. Ou seja, há bastante tempo para você visitar a atração. Não há tempo limite, ou seja, você entra no prédio e pode ficar quanto tempo desejar. É uma boa opção, por exemplo, chegar no final de tarde e conferir o anoitecer por lá. O único senão é que não há um café ou muitos lugares para sentar por lá, mas banheiros há.

Como é a visita

Logo depois de comprar o ingresso, você acessa o lobby principal, onde encontra o lustre Joie, fabricado pela Swarovsky, com 14.000 cristais que também funcionam como ponto de iluminação. Uma entrada e tanto.

O Joie Chandelier soma 14.000 cristais Swarovsky e ocupa 3 andares

Logo em seguida, obviamente há um ponto de segurança, onde você passa por um detector de metais, sua mala é revistada e não é permitido a entrada com objetos cortantes.

Assim como no Empire State, existem várias áreas que você irá passar, que no caso funcionam como espaços para formação de filas. Visitamos o prédio próximo das 12h (meio dia) no mês de junho/2013 e pegamos pouquíssimas filas, tanto para compra do ingresso (no caso tínhamos o New York City Pass, mas de qualquer forma tivemos que pegar a fila para trocar o passe por um ticket com hora marcada) como para os elevadores.

No mezanino, algumas fotos contam a história e a importância do Rockefeller Center (Foto: http://www.topoftherocknyc.com/experience/)

Notamos que a atração procura transferir um pouco da popularidade do Rockefeller Center para o Top of the Rock, tentando passar a emoção ao visitante de estar em um dos prédios mais famosos de Nova York. Isso porque o Rockefeller é uma atração turística extremamente popular, mas o Top of the Rock ainda não.

Antes de entrar nos elevadores, existem alguns corredores onde as pessoas são separadas em filas e podem assistir vídeos que mostram a história do Rockefeller Center. A demora nesse ponto foi de cerca de 10 ou 20 minutos. Não há lugares para sentar, por isso a espera, apesar dos filmes, é incômoda.

A viagem no elevador até o topo é uma das melhores partes. O elevador tem teto de vidro, e durante a subida, você visualiza a aceleração do equipamento, e luzes coloridas são projetadas, além de textos. A viagem é super rápida, mas com esse adicional, fica ainda mais divertida. São 67 andares até o topo. 

O elevador sobe rapidamente, luzes e o texto Top of the Rock ilustram o teto de vidro

Saímos direto para o andar de fora e demos de cara com um tempo semi nublado. Nossa, fiquei com tanta raiva, pois a manhã tinha sido ensolarada e até pouco tempo não havia um resquício de nuvem no céu e quando chego lá em cima, nuvens??? Minha irritação com tempo nublado aborreceu o Cleber e o Alex que me acompanhavam na visita, pois meu humor muda da água para o vinho.

Resolvi esperar um pouco o tempo melhorar para tirar fotos, mas havia uma névoa esquisita na paisagem, talvez em virtude de poluição, que não deixava a vista limpa. Mas logo o tempo abriu e começamos as fotos.

Espaços amplos e vazios permitem que você curta com calma a vista de Nova York

Apesar da substituição de uma grade por vidro, ainda assim o reflexo pode atrapalhar um pouco as fotos, então resolvemos subir mais andares para curtir o visual sem obstáculos.

São três andares de visitação. O primeiro é o 67o. andar, bloqueado com vidros mas com ampla área externa e também com área interna. No 69o. andar ainda há vidros, mas no 70o. andar a vista é livre, apenas conta com uma mureta de proteção um pouco acima da cintura. 

Também achamos bastante divertido tirar retratos nossos a partir do 70o. andar, mas a gente lá embaixo, com os vidros e a paisagem de fundo. É legal para ilustrar o lugar em que estávamos.

Eu e a cidade

A vista também é muito boa para o Central Park, pena que o dia não estava completamente limpo.

Central Park, a partir do Top of the Rock

Por entre os prédios, também é possível ver a parte Downtown de Manhattan e a Estátua da Liberdade lá longe, mas a vista para o novo prédio do World Trade Center fica prejudicada. Nesse aspecto, a vista do Empire State é bem superior.

Se for pedir para alguém tirar retratos seus, peça para alguém mais alto que você, assim o ângulo não fica debaixo para cima (que é um ângulo que não favorece muito também). Com o adicional também que a foto tirada por uma pessoa mais alta irá retratar melhor a paisagem, pois estará mais acima da mureta. 

Eu e Cleber no último andar do Top of the Rock, com o Empire State ao fundo.
Nosso amigo alto Alex foi quem fotografou.
Aqui também você encontra os famosos binóculos. Existe algo mais cinematográfico que isso?
Quase toda cena de cinema em um mirante mostra algum personagem olhando no binóculo.

Apesar do local não ser tão cinematográfico como o Empire State Building, algumas cenas do cinema foram gravadas aqui, como os filmes “Os Agentes do Destino”(The Adjustment Bureau, 2011, com Matt Damon) e o clássico “Sweet Charity”(Sweet Charity, 1968, musical de Bob Fosse com Shirley MacLaine).

A cena final de “Os Agentes do Destino” mostra os personagens principais encurralados no topo do Rockefeller Center, em sua busca para seguir o próprio destino e fugir de um plano que fora traçado para eles.

Matt Damon e Emily Blunt lutam pelo seu amor no Top of the Rock. Fonte: http://onthesetofnewyork.com/
Cliché no cinema, todo mundo que sobe em algum mirante dá uma conferida na vista
através de um binóculo. Cena de Sweet Charity. Fonte: http://onthesetofnewyork.com/

De volta ao 67o. andar, é possível descansar em alguns sofás, na área interna do mirante. É uma boa opção se você está pretendendo curtir o visual até o anoitecer.

Na Breezeway, é possível brincar em uma sala fechada com luzes coloridas que acompanham o seu movimento.

Breezeway, luzes acompanham os nossos movimentos

A visita foi ótima, apesar do tempo nublado inicial, mas confesso que minhas expectativas quanto à vista do Top of the Rock ficaram abaixo do esperado. De qualquer forma, vale pela tranquilidade de poder curtir o visual, sem aglomerações. 

Fiquei com muita vontade de retornar no final de tarde e ficar até a noite, mas infelizmente não deu tempo. Acho que teria gostado bem mais da vista.

Fiquem com mais um retrato em preto e branco de Nova York, dentro da série de fotografias em P&B que tenho postado nos artigos dessa viagem.

Nova York B&W

FICHA TÉCNICA:

Título: Top of the Rock
Direção: Rockefeller Center
Produção: Fábio Pastorello
Roteiro: Saguão, Mezanino, Teatro, Elevadores e 3 andares externos para visita
Elenco: Fábio Pastorello, Cleber e Alex
Fotografia: Fábio Pastorello 
O melhor: as áreas externas, onde é possível fotografar a cidade sem grades e também tirar retratos com a cidade ao fundo
O pior: o prédio não é muito alto e a vista é parcial da cidade
Duração: pelo menos 30 min para chegar ao topo e cerca de 1 hora de permanência lá em cima
Ano: 2013
País: Estados Unidos
Gênero: Cidade, Mirante
Avaliação: ★★★★

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.


Como subimos até o topo do Empire State sem pegar filas

Nova York: O cinematográfico Empire State Building

Nova York Empire State Building
A bela vista noturna de Nova York, a partir do Empire State Building

Como Chegar

O Empire State Building fica entre a 33rd e a 34th Street e próximo à Quinta Avenida. A estação de metrô mais próxima é 34St Herald Square, próximo a Macy’s. Só não vai se perder nas compras, o objetivo mesmo é conhecer o Empire State.

Empire State se destaca entre os prédios de Manhattan, bem pertinho da Macy’s

O legal é que ficamos hospedados em um hotel bem pertinho, então da nossa janela nós conseguíamos ver o topo do Empire State, que aliás pode ser visto de vários pontos da cidade. É bem fácil identificar: é o prédio mais alto.


Exibir mapa ampliado

Quanto Custa

O ingresso custa $ 27,00, mas existem opções. Se você comprar o ingresso Main Deck Express, poderá pular todas as filas. A mordomia custa $ 50,00. Outra alternativa é também conciliar o ingresso com a visita ao Top Deck, fica no 102o. andar. Nesse caso o ingresso sobre de $27,00 para $44,00, ou no caso da opção Express, sai por $ 67,00.

Compensa pagar mais para pular as filas? Se você estiver com pressa e para você o tempo é mais importante do que o dinheiro, compensa. Também vale a pena analisar o tamanho da fila e o tempo de espera. 

Ingressos podem ser comprados online no site oficial do Empire State. É uma outra forma de pular as filas, já que você não precisa pegar a fila dos ingressos. Outra vantagem é que não é preciso marcar horário, como no Top of the Rock. Você compra o ingresso online e ele é válido para qualquer dia, no prazo de 1 ano a partir da compra. De qualquer forma, não poderá pular a fila de acesso aos elevadores.

Outra dica também é comprar os ingressos pessoalmente, em um horário que não estiver movimentado. Vamos supor que você está passando pelo Empire State e percebe que não há fila nenhuma. Só que o tempo está nublado ou chuvoso, você não quer ir naquela hora. Ou então está passando por lá perto da meia-noite, horário em que provavelmente não haverá filas. Pode comprar somente o ingresso e utilizá-lo posteriormente, no prazo de 14 dias a partir da data da compra. 

Mas atenção: o ticket só pode ser usado uma vez. Entrou, não tem outra oportunidade de visitar o local.
Lobby de entrada do Empire State, tirar uma foto aqui é básico
Uma outra opção é comprar o New York City Pass, que dá direito a visitar 6 atrações em Nova York, entre elas o Top of the Rock e o Empire State. Confira mais como funciona nessa matéria do site Falando de Viagem.
O New York City Pass inclui 6 atrações e sai por $ 106,00. A vantagem, para o caso da visita ao Empire State, além de pular algumas filas, é que ele permite que você faça a visita duas vezes. Ou seja, você pode visitar o mirante durante o dia e o ingresso também dá direito a uma segunda visita noturna, após as 22h. Perfeito, não? Você pode voltar para ver a cidade à noite que, na minha opinião, é uma vista imperdível.
Detalhe do lobby
O Empire State Building funciona absolutamente todos os dias do ano, não importa se feriado ou segunda-feira, das 8h às 2h da manhã. Ou seja, tempo é o que não falta para visitar o lugar.

Como Evitar as Filas

Seguem algumas dicas de como evitar as filas e tentar perder o mínimo de tempo esperando para entrar no Empire State Building:
  • compre seu ingresso com antecedência, seja online ou pessoalmente ou:
  • utilize um New York City Pass;
  • procure os horários mais tranquilos, fora do horário de pico, que são logo de manhã cedo (se possível no horário de abertura, às 8h da manhã) ou no meio da tarde (por volta das 15h, se for no verão pode ser mais tarde);
  • procure se distanciar do horário do pôr do sol ou do início do anoitecer, muitas pessoas irão procurar o prédio para conferir como a cidade fica linda nesse horário.
Mas e se você quiser justamente conferir o pôr do sol do Empire State Building? Foi o nosso caso. Chegamos no Empire State próximo das 18h, mas como era verão (mês de junho), só anoiteceu mesmo após às 20h. Ou seja, ficamos todo esse tempo, das 18h até umas 20h30 no Empire State.
Por outro lado, não pegamos absolutamente fila alguma. O lugar estava deserto. Passamos por várias salas, cheias de cordinhas para filas, mas sem pessoa alguma. Perdemos menos tempo na fila do Empire State do que na fila do Top of the Rock.
Empire State sem filas
Tudo muito vazio durante nossa visita, sem filas

Como é a Visita

Antes de começar a visita, vale lembrar que a iluminação do prédio é também um destaque. Seguindo um calendário de eventos, o prédio faz diversas homenagens no decorrer do ano, em combinação a algo que está ocorrendo naquele período.
Iluminação noturna do Empire State, em homenagem a Semana de Orgulho Gay em Nova York
Durante nossa visita, por exemplo, era a Semana do Orgulho Gay. O topo do Empire State estava todo iluminado com as cores do arco-íris. Mas são inúmeras opções de iluminação, fique atento sempre ao topo do prédio para saber como ele está iluminado. A programação você encontra aqui.
Mas é hora de entrar.

Como tivemos sorte, não pegamos fila, exceto uma pequena fila na hora de passar pelo detector de metais. É importante não levar objetos cortantes. Tripés também não são aceitos, e até mesmo o meu tripé portátil pequeno foi barrado. Eles colocaram num saco plástico e me deram uma senha, para retirada na saída da visita. 

Nessa hora também é importante resolver se você vai comprar o ingresso somente para o Deck aberto, no 86o. andar, ou irá até o topo mesmo, no 102o. andar, o lugar público mais alto de Nova York. Optamos por conhecer os dois decks.
Entramos no elevador e desembarcamos no 80o. andar, onde se encontra uma exposição de fotos que conta a história do Empire State.
A construção do Empire State começou em março de 1930 com um trabalho de 3.000 homens. A construção durou até novembro do mesmo ano, mas o prédio só foi inaugurado oficialmente em 1 de maio de 1931 quando o presidente Hoover apertou um botão remotamente (de Washington D.C.) que acendeu as luzes do prédio.
Depois de passar pela área da exposição, no 80. andar, e pela Empire Store, chegamos em outro elevador, que levaria até o deck do 86o. andar.
Loja do Empire State, passamos batido, mas pode ser interessante para quem quer guardar recordações típicas de NYC

Finalmente, chegamos no topo, ou seja no 86o. andar. Infelizmente, toda a paz e ausência de filas que tínhamos encontrado até ali, terminaram no deck, que estava absolutamente lotado. É muito difícil conseguir um espaço próximo da grade, onde é possível tirar uma foto melhor. 

Multidão luta por um lugar ao sol, junto das grades para conferir a maravilhosa vista de Nova York
Note que não há restaurantes nem bares no topo do edifício. Mas existem banheiros. De qualquer forma, o deck de observação oferece uma vista de 360 graus da cidade, e até que você consiga lugar em cada uma das 4 direções, terá perdido um pouco de tempo.
As grades podem atrapalhar suas fotos, no Top of the Rock você não tem esse problema
É só colocar sua lente entre os espaços da grade e conseguir sua foto livre e desimpedida da cidade

Afinal, com um pouco de paciência, é possível conseguir seu espaço entre a multidão e garantir uma foto no lugar mais famoso e cinematográfico de Nova York.

Depois de várias fotos no topo, fomos conferir o 102o. andar, mas foi uma grande decepção. Nesse outro deck, totalmente fechado, você tem o problema de estar separado da vista por um espesso vidro, que atrapalha bastante as fotos. Além disso, a vista não é tão diferente daquela do 86o.

O efeito é mais psicológico do que real, ou seja, subir no 102o. significa que você de fato chegou ao topo do Empire State. Na realidade, não há nada muito diferente do deck inferior, com a diferença de que você tem um vidro para atrapalhar a sua visão. O espaço também é bem pequeno.
Vista do 102o. andar, vidro e reflexos atrapalham a vista
Perto do pôr do sol, voltamos para o deck inferior para curtir o final de tarde e o anoitecer por lá. Nessa hora, a disputa por um lugar fica ainda mais acirrada. Prepare-se.
O sol ilumina o prédio do novo World Trade Center
East Side de Manhattan, o conjunto de prédios do Alphabet City e o East River

E com a noite, a vista de Nova York fica ainda mais linda. Não perca por nada. As luzes da cidade todas se acendem, de forma impressionante, deixando o que já era lindo, numa visão inesquecível. Nesse momento você entende porque tantas cenas de cinema foram gravadas aqui e porque esse é o ponto turístico mais emblemático da cidade, junto com a Estátua da Liberdade. 

A vista inesquecível da cidade anoitecendo

Empire State como locação de cinema

O site do Empire State elenca uma lista enorme de filmes que tiveram locações no Empire State, entre eles clássicos como New York, New York, Intriga Internacional e Tarde Demais para Esquecer ou os mais recentes como Percy Jackson e o Ladrão de Raios (quem não se lembra que no Empire State o protagonista encontra um portal para o Olimpo?).

Aliás, olha essa ilustração que legal, mostra em desenhos inúmeros filmes que foram gravados na cidade.
Filmes em Nova York
Filmes em Nova York. Clique na imagem para visualizar maior.

No Empire State, a ilustração que se destaca é a do King Kong, clássico que mantém uma das cenas mais famosas da história do cinema e dos filmes em Nova York. O gigante King Kong escala o prédio do Empire State, em posse da heroína do filme, e no alto dele encontra um pouco de tranquilidade perto do movimento de Nova York. O filme possui 3 versões, abaixo destacamos um trecho da última versão, dirigida por Peter Jackson.

Outro filme com uma sequência famosa no topo do prédio é o filme “Sintonia de Amor” (Sleepless in Seattle), com várias referências ao clássico “Tarde Demais para Esquecer”. No clássico, um casal (Deborah Kerr e Cary Grant) se conhece e se apaixona num navio, mas ambos estão comprometidos e marcam de se reencontrar seis meses depois no Empire State. Um acidente, no entanto, impede que os dois se encontrem no lugar combinado.

Em Sintonia do Amor, os personagens de Meg Ryan e Tom Hanks se comunicam a distância, ele em Seattle e ela em Baltimore, em extremos opostos dos Estados Unidos. Ele acabou de perder a esposa e lamenta-se do fato em um programa de rádio. Ela escuta e resolve escrever uma carta propondo um encontro no Empire State, assim como no filme “Tarde Demais para Esquecer”. Mas ela está comprometida. Em uma das cenas, Meg Ryan vislumbra, durante um jantar com seu noivo, o prédio iluminado com um coração.

No final, eles finalmente se encontram (e conhecem) no topo de um absolutamente deserto mirante do Empire State Building. Tão deserto que nem parece de verdade, não é? E não é.

As cenas da sequência final foram filmadas numa réplica construída especialmente para o filme. Muito conveniente, o mundo do cinema é realmente cheio de ilusão e mentira, mas uma mentira que adoramos acompanhar. Como já disse Jean-Luc Godard, “cinema é a fraude mais bonita do mundo”. 

Os personagens de Meg Ryan e Tom Hanks finalmente se conhecem no topo do Empire State Building

No cinema, o lugar parece ser o lugar perfeito para um encontro romântico; na realidade, nem tanto. A magia do cinema é assim, mas isso não quer dizer que a realidade seja pior do que a ficção. Apenas diferente. Certamente, estar lá naquele lugar que foi cenário de tantos filmes e ver Nova York do alto, provavelmente a cidade mais cinematográfica que existe, é certamente tão bom ou melhor do que qualquer cena de cinema.

FICHA TÉCNICA:
Título: Empire State Building
Direção: 350 5th Ave. New York
Produção: Fábio Pastorello
Roteiro: Saguão, 80 andar, Deck do 86 andar e Deck do 102 andar
Elenco: Fábio Pastorello, Cleber e Alex
Fotografia: Fábio Pastorello
O melhor: a vista de Nova York ao anoitecer, é inesquecível
O pior: o movimento constante no topo, é difícil conseguir um lugar para apreciar a vista, e mesmo que consiga, um monte de gente ficará atrás de você meio que pressionando para que você saia logo
Duração: pelo menos 30 min para chegar ao topo (mas com filas esse tempo pode ser estendido consideravelmente, portanto planeje pelo menos 2 horas) e cerca de 1 hora de permanência lá em cima
Ano: 2013
País: Estados Unidos
Gênero: Cidade, Mirante
Avaliação: ★★★★★

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor. 

Fontes: 
Site Oficial do Empire State Building: http://www.esbnyc.com/
Viagem de Cinema: http://viagemdecinema.blogspot.com.br/2011/05/empire-state-building-celebra-80-anos.html?q=nova+york
Guia dos Curiosos: http://guiadoscuriosos.com.br/blog/2013/02/04/o-roteiro-cinematografico-de-nova-york/
On the Set of New York: http://onthesetofnewyork.com/sleeplessinseattle.html

4 comentários

  1. Oi, Fernanda. No meu caso é mais complicado achar alguém mais alto. rs. Legal essa informação do horário do sol, realmente essencial. Nossa, nem imagino aquele lugar no frio, realmente não deve dar pra ficar muito tempo mesmo. Abração.

  2. Adorei a dica de pedir pra alguém + alto tirar foto! No meu caso fica fácil rs Fui ao Empire State Building um século atrás mas estava um dia chuvoso… As vistas e fotos não eram tão boas mas era o único dia que podia ir. Já no Top of the Rock, fui em março/2012. Amei não ter pegado fila e nem ter aquela briga por espaço rs. Vc visitou num bom horário, perto do meio dia. Eu fui + p/ o meio/final da tarde e o sol não ajudava pra tirar as fotos do Empire State e do sul da ilha. Acabei tirando + foto do Central Park rs. E como fui em março estava MUITO frio lá em cima! rs E ventava muito tb. Os sofás do 67 estavam lotados e acabamos demorando menos… Se tivesse lugar lá pra sentar, a gente com certeza teria ficado + um pouquinho.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.