Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo – Chapada dos Veadeiros

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros

Um dos nossos maiores objetivos nessa viagem para a Chapada dos Veadeiros era conhecer um dos cartões postais da região: o Mirante da Janela. 

O Mirante da Janela fica no alto de uma montanha e tem vista privilegiada para os dois saltos do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. A gente já tinha visto essas duas quedas de perto, na Trilha dos Saltos (dentro do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros). Um dos saltos tem 120 metros de altura e a outra cachoeira possui 80 metros.

Do alto, o visual dos saltos do Rio Preto parecem ainda mais incríveis e cinematográficos. O visual é sensacional.

Além da vista, o lugar permite uma foto inusitada. Uma formação de várias pedras forma um triângulo, uma janela para a paisagem, criando uma moldura perfeita para as fotos.

Mas para minha surpresa, foi bem difícil chegar no Mirante da Janela. Como estávamos bem determinador, no final das contas deu tudo certo. Mas nem tudo foram flores no caminho, confira a seguir quais foram os perrengues que encontramos no caminho. 

Trilha do Mirante da Janela, um dos cartões postais da Chapada dos Veadeiros

Perrengues para chegar na Cachoeira do Abismo e Mirante do Janela e uma vista incrível para os Saltos do Rio Preto

Depois de uma trilha puxada até o topo de uma montanha, chegamos na região do Mirante da Janela. Uma equipe de filmagem ocupava o lugar.

Acho curioso que quando estamos viajando, é normal encontrarmos alguma coisa relacionada a cinema: seja uma filmagem acontecendo, um festival de cinema ou alguma exposição. Sempre casual, mas é lógico que eu adoro. 

Fui lá atrapalhar um pouco a filmagem. Pedi uma indicação rápida de qual era a direção do Mirante da Janela e o pessoal da equipe da filmagem foi evasivo na resposta. Lógico, fiz o papel do turista chato que estava atrapalhando o trabalho de uma equipe cinematográfica.

Não quis mais atrapalhar: eles continuaram a trabalhar e nós saímos à procura do visual famoso dos Saltos do Rio Preto, por entre uma enorme pedra furada. 

Rodamos para um lado, depois para o outro, nos aventuramos sobre pedras enormes diante de um penhasco, e nada. Não encontrávamos a famosa formação triangular, que forma uma moldura para os saltos do Parque Nacional. Subir tudo aquilo e não conseguir encontrar um dos mirantes mais famosos da Chapada, seria absolutamente frustrante.

Coloco meu orgulho de lado e volto até a equipe de filmagem. Pergunto se havia algum guia de viagem entre eles. Um deles pergunta, afinal, porque tínhamos subido sem guia?

Boa pergunta senhor, mas a resposta era bem simples. Porque não conseguimos um guia.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros

Mirante da Janela: com ou sem guia

A verdade é que mesmo depois de minha última visita para a Chapada dos Veadeiros em 2012, a região ainda possui diversas deficiências turísticas. A começar pelos serviços oferecidos ao visitante.

Para quem viaja sozinho ou em casal, é preciso conseguir alguém para dividir os custos de um guia. Pagar R$ 150,00 por um passeio é puxado para a maior parte dos viajantes, então a solução é dividir com outras pessoas.

Mas tão ansiosos para fazer o Mirante da Janela, eu e Cleber estávamos dispostos sim a pagar um guia. Seria melhor se conseguíssemos dividir o valor, mas nem isso rolou.

Na pousada em que ficamos hospedados em São Jorge, a recepcionista ligou para uma agência local, a procura de um guia. Recebeu um não como resposta.

Cachoeira do Abismo: não rola na época de seca

Diante da dificuldade, a funcionária da pousada insistiu que não valia a pena ir para o Mirante da Janela, já que a Cachoeira do Abismo estava seca.

A Cachoeira do Abismo, que fica no meio do caminho até o Mirante da Janela, só tem volume de água significativo na época das chuvas. Em maio, época da nossa visita, já não tinha mais água suficiente. Muita gente deixa de fazer o passeio já que não rola o banho de cachoeira no meio do caminho. 

Eu disse que queria ir mesmo assim, com ou sem cachoeira. Mas ela foi enfática: disse que não tinha como e que não era recomendável ir sem guia. Fiquei irritado. 

Buscando um guia para ir até o Mirante da Janela

Nessas vilas pequenas, todo mundo conversa muito mais do que em lugares grandes. E numa conversa com outras pessoas, lá em São Jorge mesmo, tínhamos recebido uma recomendação de um guia.

E lá fomos nós atrás do guia, mas segundo ele, já era tarde demais para sair. Às 9h da manhã. Como assim? 

Ou seja, juro que tentei fazer essa trilha com guia, portanto o esporro que levei lá no topo do Mirante da Janela foi injusto.

Ninguém vai me deter

A verdade é que a trilha é, sim, possível ser feita sem guia. Tanto que foi assim que eu e Cleber a fizemos. Ninguém (ou no caso, a falta de alguém) iria nos deter. 

Seguimos de carro pela estrada de terra que vai para o Parque Nacional e numa bifurcação, seguimos as indicações para Mirante/Abismo. Estacionamos o carro e seguimos a pé.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo
Confira o mapa no Google Maps

O início da trilha até o Mirante / Abismo

Caminhamos bastante (cerca de 30 minutos) até encontrar a casa do seu Graciliano, um senhor que cuida da entrada da trilha e cobra uma taxa de R$ 15,00 por pessoa.

Perguntamos a ele se conseguiríamos fazer a trilha sozinhos e se ainda daria tempo. Ele disse que sim para tudo e deu algumas instruções num modo de falar bem característico, mas infelizmente a maior parte delas não entendemos direito.

O seu Graciliano ofereceu uma água e um café, aceitei a água e partimos. No primeiro trecho da trilha, rolam umas indicações no chão. Setas e indicações foram pintadas nas pedras e ajudam na orientação, assim como no Parque Nacional. Na dúvida, pegue sempre o caminho da direita, foi a orientação que tínhamos recebido e que acabou funcionando.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros
Na entrada da trilha, fica a dica: de noite cuidado com a onça
Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros
Base da apoio do seu Graciliano, no início da trilha para o Mirante da Janela

Cachoeira do Abismo 

Pouco mais de 45 minutos depois de nossa saída do estacionamento, chegamos na Cachoeira do Abismo, praticamente seca. Uma pena, mas a cachoeira só existe mesmo na época das chuvas.

Provavelmente nunca vou conhecer, pois nos meus planos sempre vou preferir viajar para a Chapada dos Veadeiros na época de seca. Mas pelas fotos que eu vi na internet, a cachoeira é bem modesta mesmo, e nem vale fazer a trilha por causa dela. 

Existem guias que oferecem um passeio até lá para ver o pôr do sol.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros
Cachoeira do Abismo fora da época das chuvas: só sobrou um pouco de lodo

Há um tronco que faz às vezes de corrimão e atravessamos a área da cachoeira.

Seguimos mais um pouco por algumas pedras e encontramos uma escada de madeira, descendo. Lembramos que o seu Graciliano tinha comentado algo sobre ela.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros
Descida íngreme com vários desníveis é o desafio da trilha do Mirante da Janela

O trecho mais puxado da trilha

Aqui começava o trecho mais difícil da trilha. São 10 minutos de descida íngreme, que pela duração poderiam soar fáceis, mas pelo tamanho e desníveis das pedras, exige bastante esforço dos pés e joelhos.

Ao chegar lá embaixo depois dos 10 minutos de descida íngreme, olho para outro morro e penso: tudo o que descemos, agora vamos ter que subir. A trilha envolve uma descida e uma subida, tanto na ida como na volta. Caminhamos um trecho plano de uns 5 minutos e começa a subida.

Mais 10 minutos que parecem intermináveis. Fiz várias paradas para descansar e tomar água (leve muita). O Cleber, mais disposto, ia na frente.

Finalmente no topo e nosso guia improvisado

E fim de trilha, já no alto, chegamos na equipe de filmagem que gravava sob a sombra de uma gigante pedra.

Perguntei para o pessoal se eles sabiam onde era o mirante, e eles me indicaram para a direita. E aí rolou aquela busca frustrada que me fez retornar para a equipe e perguntar se algum deles era guia. O cara me deu uma bronca por termos subido sem guia e cobrou R$ 50,00 para nos levar até a pedra do Mirante da Janela. Pagamos.

O guia andou para lá, depois para cá, depois desceu e pronto, tínhamos chegado no Mirante da Janela num caminho meio labiríntico que dificilmente eu conseguiria fazer novamente. Uma das dicas que nos tinham passado é que a pedra fica atrás das pedras maiores, e é preciso descer um pouco, mas realmente tentamos e não conseguimos.

Depois que encontramos a pedra, notamos algumas indicações nas pedras, escritas com giz. Caso esteja sem guia, fique de olho nessas anotações.

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros
Anotações com giz branco nas pedras podem indicar o caminho

Finalmente, no Mirante da Janela

Já que tinha pagado R$ 50,00, aproveitei para pedir para o nosso “guia” para tirar algumas fotos nossas. Após as fotos, ele se foi, de volta às filmagens.

E nós ficamos mais uns 30 minutos naquele lugar cinematográfico. A vista é realmente de tirar o fôlego, para os dois saltos do Rio Preto.

Aproveite vários ângulos para tirar as fotos, não somente pela fenda na rocha. 

Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos VeadeirosMirante da Janela e Cachoeira do Abismo - Chapada dos Veadeiros

Fique atento para não se perder na trilha

Na volta, ainda quase nos perdemos em um dos trechos da trilha. Demorou um pouco mas achamos o caminho de volta.

A dica é nunca pegar uma trilha mais fechada: o caminho é uma trilha bem aberta, se notar que a trilha ficou muito fechada e cheia de mato, desconfie.

Em outro momento vimos uma cobra atravessando a trilha e bateu um medo danado. Mas ela continuou sua trilha, ainda bem que não era a mesma que a nossa.

Moral da História: o Mirante da Janela vale a pena?

Sobre a trilha até o Mirante da Janela, duas morais da história. Primeira é que o lugar compensa, mesmo que a Cachoeira do Abismo estiver seca.

Segunda é que dá sim, para subir sem guia. Mas isso não quer dizer que você vai achar a formação triangular que dá nome ao lugar. De qualquer forma, há vários mirantes incríveis para os saltos do Parque Nacional.

Para encerrar o dia, fomos conferir o pôr do sol na Risoteria Santo Cerrado. O entardecer foi fraco, mas o risoto estava, como de costume, uma delícia.

Confira nosso guia completo: Chapada dos Veadeiros – Dicas e Roteiro de Viagem

Leia também: Trilha dos Saltos do Rio Preto

FICHA TÉCNICA:

Passeio: Mirante da Janela e Cachoeira do Abismo
Direção: São Jorge, Chapada dos Veadeiros
Produção: R$ 15,00 por pessoa (trilha com guia é recomendável)
Fotografia: Fabio Pastorello
O melhor: O visual do alto da montanha para os saltos do Rio Preto é impressionante
O pior: Na minha opinião, foi a trilha com maior nível de dificuldade da Chapada dos Veadeiros (16 km ida e volta, com muita subida e descida)
Ano: 2017
País: Brasil
Avaliação: ★★★★★

Tags:

23 comentários

  1. Fábio, fiz a trilha do Mirante da Janela mesmo sabendo que não haveria banho de cachoeira, fui agora em Agosto e os guias locais dizendo que a trilha era puxada e que a cachoeira do Abismo está nessa epoca do ano completamente seca. Eu e minha fiha nao desistimos, não perderia o visual de lá por nada, nenhuma foto ou vídeo consegue mostrar a maravilha do local. Fui com guia, depois de ler seu relato e de muitos outros internautas vi que não era opção ir sem guia. Não queiram economizar num passeio que será unico. Optamos em fazer na parte da tarde, vimos o por do sol por lá e voltamos já escurecendo. Mesmo com o aviso de perigo de onça a noite, foi tudo tranquilo. Levem muita água, manteiga de cacau ( os lábios “racham” mesmo) a trilha é puxada, mas o visual é indescritivel, valeu super a pena.

  2. Estou planejando minha viagem pra Chapada dos Veadeiros e os relatos de vocês são ótimos, rico em detalhes; tem me ajudado muito. Gostaria de uma opinião: se tivessem que escolher entre a trilha do mirante da janela e a trilha dos Saltos ( que fica dentro do parque nacional) qual seria?
    Pergunto pois quero fazer a trilha dos Cânions e tenho mais um dia pra escolher entre uma dessas que citei. Obrigada

  3. Oi Fábio!

    Que bom encontrar o relato de vocês.

    Vou para a Chapada semana que vem e acabaram de me dizer para desistir pois a Cachoeira do abismo estaria seca. Mas mesmo com água achei que ela não era o mais bonito da trilha.

    O relato de vocês colocou o mirante de volta no meu roteiro, obrigada!

  4. Demais! Essa trilha eu não tive o prazer de fazer. O guia não recomendou, pois não tinha água, deixei para uma nova visita e vendo as fotos quero muito retornar. Beijosssss amigos !

    1. Obrigadão Sy. Realmente estranhei todo esse “empenho” do pessoal em desmerecer essa trilha quando a cachoeira está seca, que para mim foi um dos melhores visuais da viagem. Mas enfim, na Chapada tem muita coisa linda pra fazer. Beijossssss.

  5. aff vei como assim n tinha guia wtff bom saber q da pra subir sem guia e olha vcs foram aventureiros hein, eu sou muito medrosa de me enfiar no mato, normalmente sempre viro o pe ou me perco aheuahe

  6. Nós fomos no carnaval e também fomos sem guias. Talvez tenhamos levado “sorte” de não precisar de guia pois estava tudo cheio! Pra achar o Mirante também contamos com a ajuda da muvuca, já que quando subi na pedra vi um pessoal lá em baixo e desconfiei que poderia ser lá a janela. Mas vi uns caras cobrando pra levar a galera lá… Também levamos “sorte” que choveu pois todo mundo desceu (nós não), o sol apareceu uns 30 minutos depois (nem tão forte) e ficamos sozinhos lá em cima (coisa rara no carnaval). Além disso a cachoeira, que de fato não é forte nem na época de chuva, deu uma enchida e aí sim ficou bem boa pra um banho refrescante!

    Achamos esta trilha a mais legal das que fizemos por lá, realmente mesmo sem cachu, vale a visita pelo visual lindo dos saltos! 🙂

    1. Oi Itamar. É muita sorte reunida hein. Que máximo. Tem certos lugares que conspiram a nosso favor. Mas é isso aí, em dias de maior movimento, fica mais fácil ir na cola de alguém. Abraços e obrigado por compartilhar sua experiência.

  7. Que delícia! Amo fazer trilhas e chegar a paisagens como essa. Ainda não conheço a Chapada dos Veadeiros, mas já me apaixonei. Post favoritado na pasta de trilhas, ehhhhhh! Beijos, Cristina.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.