Free Walking Tour no Rio de Janeiro

Sabe quando você passa por diversos pontos turísticos ou lugares incríveis de uma cidade, mas fica com vontade de saber mais de sua história ou de como eles estão interligados?

Ou simplesmente passa batido por alguns lugares que carregam toda um significado para a cidade?

Em todas as minhas passagens pelo Rio de Janeiro, sempre fiquei com essa impressão. De querer saber um pouco mais sobre aqueles lugares tão lindos, ou de ter ignorado algum ponto importante, então quando fiquei sabendo que havia um tour pelo centro do Rio, fiquei animado.

Ótima oportunidade para conhecer um pouco mais dessa cidade que já foi a capital do Brasil e que eu tanto adoro.

Free Walking Tour no Rio de Janeiro

Conhecendo um pouco mais da história e cultura em passeio guiado pelo centro do Rio de Janeiro

por Fábio Pastorello
Free Walking Tour Rio de Janeiro
Grupo reunido na frente dos Arcos da Lapa, um dos cartões postais do Rio de Janeiro

Como Funciona

O Free Walking Tour é uma iniciativa que ocorre em vários países do mundo, como Berlim, Amsterdã e Dublin, e já virou febre entre os viajantes. A Giovanna foi nossa guia e já participou de vários walking tours pelo mundo e foi o que a motivou a começar a fazê-los no Rio de Janeiro.

A iniciativa é super válida: todos os dias, em um determinado ponto de encontro, ela espera os viajantes para começar um passeio pelo centro do Rio de Janeiro. Como o próprio nome em inglês diz, o passeio é grátis, mas lógico, é o trabalho dela e contribuições são super bem-vindas. 

O único porém é que o passeio é somente em inglês, ou seja, é ideal para estrangeiros em visita ao Brasil.

Isso não impede que nós, brasileiros, também possamos aproveitar. Eu tenho experiência com o inglês, mas até mesmo o Cleber que não conhece muito, aproveitou super bem. Aliás, em geral é ele que presta mais atenção nas explicações, já que a maior parte eu fico distraído com fotos, então em alguns momentos ele sabia melhor o que estava acontecendo do que eu. rs.

O ponto de encontro é no Largo da Carioca, em frente ao relógio da praça, todos os dias às 10h30 (exceto domingos). O local é de fácil acesso, fica próximo da estação de metrô Carioca.

Nossa guia Giovanna, no ponto de encontro do Largo da Carioca

Chegando lá, já havia algumas pessoas reunidas e preenchemos nossos dados em uma prancheta. Logo Giovanna, muito simpática e interessada, começou as explicações, contando um pouco da história da cidade e curiosidades do Brasil. Como a contribuição é voluntária, existe um grande empenho da guia para realizar um bom trabalho.

O foco é para os estrangeiros, mas vez por outra ela pergunta coisas para os brasileiros presentes e, pasmem, a maior parte das vezes não sabemos as respostas.

Uma das informações que achei mais curiosas foi quando ela nos questionou sobre a data mais significativa para a história do Brasil. Muitos citaram a Independência, mas ela ressaltou a data em que a corte portuguesa se transferiu para o Brasil, em 8 de março de 1808.

O acontecimento, muito bem ilustrado pelo filme “Carlota Joaquina” (foto ao lado), de Carla Camuratti (com Marieta Severo e Marco Nanini nos papéis de Carlota Joaquina e D. João VI), representou a transferência da capital do reino português para o Rio de Janeiro. 

No filme, situações divertidas são ilustradas, como os brasileiros imitando o corte careca dos cabelos e turbantes adotados pela família real. Na realidade, a corte adotara esse “estilo” em função de piolhos durante a viagem de navio, mas os brasileiros acreditavam que era a última moda na Europa. Interessante pensar que até hoje uma parcela da população ainda adota valores estrangeiros como se ainda fôssemos colônia de outros países.

Paço Imperial Rio de Janeiro
Paço Imperial, esse prédio de arquitetura simples e construído sem muitos recursos,
foi a residência da família real quando da transferência da capital do reino português para o Brasil

A vinda da corte e uma comitiva de influentes 15.000 pessoas trouxe diversos benefícios para o Brasil, tornando-se o momento quando o país deixou de ter a estrutura de uma colônia e passou a receber benfeitorias como a criação de bancos, escolas, museus e bibliotecas. Por isso essa data teria tanta importância.

Enfim, voltando ao passeio, o início ocorre no Largo do Carioca, posteriormente nos dirigimos à Confeitaria Colombo, Praça XV, Cinelândia e Teatro Municipal, a Escadaria Selarón e finalmente os Arcos da Lapa, entre outros lugares no caminho. Apesar de contarmos um pouco dos lugares visitados, acompanhar a visita guiada pessoalmente é extremamente recomendado, já que a quantidade de informações que apresentamos aqui é bastante inferior a que conhecemos durante o percurso.  

Giovanna prossegue pelos atrativos históricos e faz paradas para boas explicações em alguns momentos. As explicações são aprofundadas e trazem informações relevantes para entender o contexto histórico e cultural da cidade e dos lugares que estamos visitando.

Há também uma preocupação com os participantes, e ela sempre faz uma contagem para que ninguém seja esquecido pelo percurso. De qualquer forma, aqueles que não pretendem fazer a visita completa, que leva cerca de 3h, podem se despedir em algum ponto, mas é importante avisar.

Roteiro do Walking Tour – Principais Pontos

Como já dissemos, o passeio guiado começa no Largo da Carioca.

Na entrada para o Convento de Santo Antônio, ainda no Largo da Carioca, a curiosidade foi ver as imagens do Largo da Carioca no decorrer do tempo e notar as diferenças na paisagem. A imagem de 1910, por exemplo, mostra a última vez em que era possível avistar o Pão de Açúcar a partir do Largo da Carioca. 

Giovanna comenta algumas curiosidades com ilustrações históricas do Largo da Carioca

Em uma próxima parada, a Confeitaria Colombo, Giovanna parou para comentar sobre a importância do lugar para a história cultural da cidade e também mostrar alguns salgados e doces tipicamente brasileiros, como a coxinha e o brigadeiro.

Entrada da Confeitaria Colombo, lugar essencial em qualquer visita pelo Rio

Na sequência, foi a vez de passar pela rua do Ouvidor (um dos endereços mais importantes na época da transferência da corte para o Brasil) e pela igreja de Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, cuja curiosidade é a imagem da santa que sofreu um impacto de bala de canhão, caiu de uma grande altura e só teve pequenas pequenas partes danificadas, como o dedo e um pedaço da cruz.

Praça XV

Após a singela igreja, hora de atravessar a Travessa do Comércio e conhecer a casa onde Carmen Miranda morou; ou chegar na Praça XV, onde fica o Paço Imperial e lugar do desembarque da corte portuguesa. Aqui nova parada e mais inúmeras curiosidades sobre a família real, como o medo que D. João VI tinha de siris ou de tempestades.

A visita na Praça XV se estende até o interior do Paço Imperial, onde fizemos uma pausa para banheiro e descanso antes de continuar com mais informações, e ao Palácio Tiradentes, atualmente sede da Assembléia Legislativa, onde um pouco da história desse ilustre brasileiro é apresentada aos participantes. 

Travessa do Comércio, lugar cheio de bares e restaurantes no centro do Rio

A única parada que considerei desnecessária foi em uma loja das Havaianas. Desnecessária para nós, mas parece que a parada faz sucesso entre os estrangeiros. Posteriormente, na Escadaria Selarón, uma turista estrangeira questionou um dos integrantes de nosso grupo onde ele tinha comprado a sandália.

Cinelândia

Nossa próxima parada era a Cinelândia, ou Praça Floriano, mas que ganhou o nome de Cinelândia devido aos cinemas, restaurantes e bares que existiam na década de 30 e popularizaram esse nome. Hoje só resta um, o Cine Odeon, mas a praça é cenário de um dos pontos mais lindos do Rio de Janeiro, o recém restaurado Teatro Municipal, além de movimentos populares. 

Giovanna conta que até algumas décadas atrás, os bailes de carnaval eram realizados dentro do Teatro Municipal. A visita guiada ao interior do Teatro é extremamente recomendada, e será objeto de post específico posteriormente aqui no blog.

Fachada do Teatro Municipal, restaurada em 2010
Cinelândia, apelidada dessa forma por já ter sido local de vários cinemas, uma espécie de Times Square brasileira

Escadaria Selarón e Lapa

Finalmente, chegamos na Escadaria Selarón (ou Escadaria do Convento de Santa Teresa), que nasceu do desejo do pintor e ceramista chileno Jorge Selarón em transformar a escadaria em que vivia. Depois de muito trabalho, acrescentando gradativamente os azulejos no local, o reconhecimento veio em 2005 quando o seu trabalho foi tombado pela prefeitura do Rio e ele recebeu o título de cidadão honorário.

Infelizmente, Selarón foi assassinado em 10 de janeiro de 2013, na própria escadaria que foi seu maior trabalho.

Incrível como a Escadaria Selarón se modificou através do tempo. Quando estivemos ali da última vez, o lugar estava deserto e até um pouco suspeito, tanto que tiramos algumas fotos rapidamente com receio de não estarmos seguros. Agora a escadaria é um ponto turístico, repleto de turistas, vendedores de lembranças cariocas e músicos.

A segurança pode ser ainda um problema. Giovanna alerta que recebeu algumas reclamações de pessoas que foram assaltadas na escadaria.

Cleber e eu em uma foto básica na colorida escadaria

Dali, encerramos nosso Walking Tour pelo centro do Rio nos emblemáticos Arcos da Lapa, onde infelizmente os bondinhos para Santa Teresa não passam mais devido a um acidente. Pausa para fotos e o pessoal seguiu para uma bela feijoada em restaurante próximo, o Bristô da Lapa. Hora também das contribuições para o trabalho da Giovanna, que foi excepcional.

Arcos da Lapa
Arcos da Lapa, final do Walking Tour

Nós partimos para explorar um pouco mais o centro do Rio, em lugares como o Real Gabinete Português de Leitura e o interior do Teatro Municipal. Mas recomendamos muito o passeio, tanto pelas informações que aprendemos, pela possibilidade de circular pelo centro do Rio com tranquilidade, despertando nossos olhares para novas facetas de uma cidade que sempre me surpreende.

FICHA TÉCNICA:
Título: Free Walking Tour Rio de Janeiro
Direção: Largo do Carioca, 10h30
Produção: Free Walker Tours 
Roteiro: Centro do Rio de Janeiro
Elenco: Fábio Pastorello, Cleber e grupo
Fotografia: Fábio Pastorello 
O melhor: além das informações prestadas pela guia, obviamente, andar em grupo pelo centro te deixa mais à vontade para tirar fotos e observar os lugares com mais atenção e tranquilidade
O pior: o tour é somente em inglês
Duração: 3h (mas é possível fazer somente parte do percurso, somente necessário avisar a guia quando deixar o grupo)
Ano: 2013
País: Brasil
Gênero: Cidade, História, Cultura
Avaliação: ★★★★

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

19 comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.