Paris: O que fazer e como chegar no Palácio de Versailles

Há tanto o que fazer em Paris, que fomos determinados a ficar somente meio período no Palácio de Versailhes, um dos passeios de bate-volta mais imperdíveis a partir de Paris.

Falei para o Cleber que tínhamos que ser objetivos (afinal já conhecíamos o lugar), tentar fotografar e conhecer apenas alguns lugares (cada vez que a gente decide tirar uma foto em determinado ponto, lá se vão uns 10 minutos no lugar) e se conformar que não seria possível conhecer tudo.

Nossos planos não deram muito certo, obviamente. O lugar é realmente fantástico e enorme, e por mais que estivéssemos focados no tempo, havia muita coisa linda para percorrer. Em determinado momento da visita, relaxamos e resolvemos aproveitar o dia.

De qualquer forma, existem algumas dicas para aproveitar melhor sua visita em Versalhes. Confira a seguir um guia e aproveite um dos lugares mais lindos e encantadores do mundo.

O que fazer e como chegar no Palácio de Versailles

Europa 2015: Diário de Viagem – Dia 5

de 

Paris - Passeio até o Palácio de Versalhes
Os jardins de Versalhes são enormes, reserve 1 dia inteiro para explorar tudo

Leia também: O que fazer em Paris: Os 10 Melhores Pontos Turísticos

Como Chegar

Nossa jornada para Versalhes não começou muito cedo, devo admitir, mas foi bastante complicada pelo transporte público. Você que está acostumado a reclamar do transporte no Brasil, saiba que na Europa também existem problemas.

A linha que vai até Versailles não faz parte do metrô, é preciso ir de trem ou de RER. Essa linha ferroviária RER em si não é ruim, mas houve um problema e ficamos esperando mais de 1 hora até a situação se normalizar. Em determinado momento, fomos todos obrigados a trocar de trem.

Ou seja, uma situação que normalmente já seria bem estressante, imagine ainda num país estrangeiro e sem você falar muito de francês.

No final das contas, deu tudo certo, apesar de termos perdido cerca de 1 hora nesses percalços.

Versailles - Como Chegar - Mapa Trem
Acesse o Mapa Interativo do Transporte Público de Paris para verificar os caminhos até lá
  • A estação Versailles Chantiers, embora não tão próxima, também dá acesso ao Palácio.
  • O mapa vai te levar até a estação de destino desejada. Clique na estação e ele vai mostrar toda a linha de acesso àquela estação. Escolha sua estação de embarque.
  • Apesar de não fazer parte do metrô, a linha RER C (amarela), que passa por estações como o Museé d’Orsay e a Tour Eiffel, possui interligação com o metrô parisiense. Mas atenção, para ir até Versalhes, é preciso ter o bilhete válido até a zona 4.
O Cour de Marbre (Marble Courtyard) foi construído em 1623 e possui o piso preto e branco originário do  come from the castelo deVaux-le-Vicomte
Os portões dourados reluzem como nunca, restaurações colocam mais de 100 mil folhas de ouro na fachada
  • Prepare-se. Dependendo do horário, o trem vai muuuuuuuito cheio.
  • Outra opção além da RER C é ir de trem mesmo, a partir da estação de Gare Montparnasse até Versailles Chantiers. Se você não tem ticket válido para a zona 4, talvez seja a melhor opção.
  • Abaixo você confere o mapa a pé a partir de Versailles Chantiers. A estação Versailles Chateau Rive Gauche fica no meio do caminho. O mapa nem é muito necessário, basta seguir o fluxo sempre constante de pessoas para lá.

Quando Visitar


Uma outra questão nossa era qual seria o dia e melhor horário para ir até Versalhes. A julgar pela quantidade incrível de pessoas no nosso RER para Versalhes, já vimos que o negócio seria puxado.

Infelizmente a ideia de chegar cedo acabou micando por causa do atraso do trem, então só nos restou definir o que faríamos primeiro ao chegar no complexo.

  • Nos meses de alta temporada, como junho, julho e agosto, parece não haver muita escolha. Todos os dias são cheios, com algumas raras exceções. Note por exemplo que no mês de junho, as quarta-feiras são uma boa opção.
  • Os piores dias para visita são nos fins de semana e às terças-feiras (na terça acumula o movimento de segunda-feira, quando Versalhes não abre).
Palácio de Versalles - Quando Visitar
Multidão entrando no Palácio de Versalhes: utilize a criatividade para fotos sem muita gente ao redor

Como Visitar e O que Fazer

Como o lugar é enorme, vale a pena planejar bem a sua visita. Se você conseguir chegar cedo, aproveite para fazer o lugar mais concorrido e cheio do lugar, o interior do Palácio. Para o resto, é tudo muito grande e o povo se espalha.

A beleza do Salão dos Espelhos, no interior do Palácio de Versalhes
  • A recomendação é visitar o interior do Palácio entre 9h e 10h da manhã (se conseguir chegar nesse horário) ou então só depois das 15h. Nos demais horários, vá com paciência para as multidões.
  • Se você conseguiu fazer o interior entre 9h e 10h, pode curtir os jardins até as 12h e depois do almoço ou lanche, ir conferir os Domínios de Maria Antonieta.
  • Se você não conseguiu chegar cedo, tem duas opções. Dê uma circulada pelos jardins até as 12h e volte para o interior do Palácio. Se estiver muito quente, ninguém quer ficar circulando a pé sob o calor do meio dia. Conheça o interior do Palácio e depois vá para os Domínios de Maria Antonieta. A outra opção é seguir a recomendação do Palácio e só entrar no Palácio após às 15h.

Leia nosso roteiro completo: Europa em 30 Dias – França e Itália

O Interior do Palácio

Versalhes está divida em 4 grandes áreas. A primeira delas é o próprio palácio, e como já dissemos, a visita mais muvucada do seu dia.

O lugar é imenso, foi a residência de 3 reis franceses que foram promovendo melhorias, até a Revolução Francesa. Entre os mais célebres moradores, estão Luís XVI e Maria Antonieta, ela protagonista do filme homônimo de Sofia Copolla (no filme interpretada por Kirsten Dunst, de “Homem-Aranha”).

Cena do filme “Maria Antonieta” (2006), dirigido por Sofia Coppola e gravado no Palácio de Versalhes
Mais uma cena do filme, a curiosa cena de Maria Antonieta acordando cercada de platéia

A produção do filme conseguiu autorização para filmar no Palácio, inclusive no Salão dos Espelhos, que na época estava em restauração. É lá que acontece a cena do baile do casamento entre Maria Antonieta e Luís XVI. O filme foi indicado a vários Oscar, mas ganhou apenas o de Melhor Figurino.

A lista de filmes gravadas em Versalhes porém, é enorme.

Um dos grandes destaques mesmo do interior do palácio é o Salão de Espelhos (ou Galeria dos Espelhos), que da primeira vez que eu visitei, quase me arrancou lágrimas. É daqueles lugares que você entra e faz ooooohhhhh.

Salão dos Espelhos, um dos lugares mais impressionantes que eu já visitei
Obviamente, todo mundo quer tirar um retrato no lugar, o difícil mesmo é conseguir tirar uma foto sem ninguém fotobombando a sua foto atrás. Tenha um pouco de paciência que rola.

Para conseguir uma selfie legal, acho que fizemos umas 30 tentativas
Turistas fotografam as esculturas douradas e cristais do Salão dos Espelhos

Outros destaques da visita ao interior do Palácio são aos apartamentos e os quartos do Rei e da Rainha, La Chapelle Royale (Capela Real), o Salão da Guerra e o Salão da Paz.

  

Os Jardins de Versalhes

Uma boa notícia. A entrada para os jardins de Versalhes é grátis. Não está afim de entrar no palácio mas quer dar uma passeada pelos jardins, taí uma opção mais barata.

Na entrada do jardim, existe um ponto com internet WiFi grátis.

Uma caminhada básica pelos jardins envolve pelo menos 4 km de caminhada. Por isso existem vários formas de transportes para quem não está muito afim de caminhar.

Vale dar uma explorada no site de Versalhes, onde há um mapa interativo, onde você pode verificar onde ficam os banheiros e as opções de comida dentro do parque.

Logo na entrada, a primeira opção é pegar um mini-trem, mas sinceramente, as filas desanimam. O valor é de €7.50 e você pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser.

Os destaques são para a Fonte de Latona (protegendo seus filhos Apollo e Diana) e a Fonte de Apollo. As figuras douradas tinham sido recentemente restauradas e estava tudo brilhando como ouro. Uma maravilha.

Mas vale muito pena caminhar pelos bosques, com seus corredores de árvores, explorar os jardins geométricos, todas as fontes (entre elas a Fonte de Netuno) e observar uma série quase infinita de estátuas pelos caminhos dos jardins. O excesso de estátuas atordoa, você acaba não conseguindo olhar uma especificamente, mas faça um esforço e escolha algumas delas para admirar.

A Fonte de Latona domina o cenário dos jardins de Versalhes

Para registrar o parque do melhor ponto de vista, fique no alto da escadaria da Fonte de Latona, foi o local de onde a foto acima foi tirada.

Outra área imperdível é a região da Orangerie, projetada por Jules Hardouin-Mansart e ladeada por laranjeiras importadas de Portugal, Espanha e Itália, algumas com mais de 200 anos de idade.
A Fonte de Apolo é uma bela boas-vindas para o Grand Canal 
Os jardins geométricos também são uma atração, mas sinceramente achei que estavam incompletos
Em vários trechos dos jardins é possível encontrar estátuas. O excesso acaba atordoando um pouco.

A nossa visita até Versalhes também vem inspirada em dos filmes escolhidos para nortear nossa viagem. Quem ainda não sabe, nossa viagem pela Europa foi inspirada em 10 Filmes e Destinos de Cinema. Nosso guia em Paris foi o Woody Allen do delicioso “Meia Noite em Paris”.

Cena do filme “Meia Noite em Paris”, gravada nos jardins do Palácio de Versalhes

O Parque

Na altura da Fonte de Apolo, terminam os jardins e começa o parque, no entorno do Grande Canal. Assim como os jardins, o parque é de livre acesso (grátis) e funciona das 7h às 20h30 durante a alta temporada.

Uma das belas alamedas repletas de árvores no parque de Versalhes

Entre as atividades que você pode fazer no parque, estão alugar um barco no Grand Canal (30 minutos por €12 e 1 hora sai €16), um Segway tour (€35 por hora) ou carrinhos de golfe elétricos (€35 por hora).

Nós escolhemos o aluguel de bicicleta (30 minutos: €5.50, 1 hora: €7.50,  4 horas: €17 e 1 dia (8 horas): €19. Não para usar menos do 1 hora, gente. Por que a bicicleta funciona mais do que um passeio, mas como um meio de transporte até o Grand Trianon e os Domínios de Maria Antonieta.

Eu e Cleber andando de bicileta no parque de Versalhes

As bicicletas só podem ser usadas no parque, não é permitido andar com elas nas áreas dos jardins.

Utilizá-las é bem tranquilo. Junto com a bicicleta, o pessoal também empresta um cadeado e você deve deixar um documento. Nas paradas de maior interesse, existem “estacionamentos” para deixar as bicicletas. As bikes também contam com cestinhas para vc colocar a bolsa ou mochilas, caso não queira ficar pedalando com elas nas costas.

Grand Trianon

Apesar de projetado por Mansart, Luís XIV esteve envolvido diretamente no projeto. A arquitetura meio que mistura grandiosidade e acolhimento, com amplos espaços integrados aos jardins, dedicados às flores.

Para acessar o Grand Trianon, é necessário apresentar o ticket de entrada (ou Paris Museum Pass). Sinceramente, achamos o ponto mais fraco de nosso dia em Versalhes.

Grand Trianon Versailles
Grand Trianon, o mármore rosa e o piso quadriculado atribuem grandiosidade, mas a interação com os jardins mantém o aspecto rural e intimista

Os Domínios de Maria Antonieta

Os Domínios de Maria Antonieta representam uma área de Versalhes mais reservada e onde Maria Antonieta encontrava um estilo de vida menos suntuoso e mais rural. Aliás, Antonieta foi uma das únicas rainhas que impôs seu gosto pessoal a um local do Palácio.

Como um jardim secreto, o lugar era preservado de forma que ninguém podia ir ao local sem ser convidado.

Aqui se encontram o Petit Trianon e o Jardim Francês, uma bela demonstração de um jardim geométrico e de linhas simétricas. Um dos recantos mais lindos de Versalhes.

Petit Trianon Versailles  

Explore bem e dedique algum tempo para essa que é uma das áreas mais encantadoras de Versalhes. O lugar requer uma visita um pouco mais lenta e dedicada (até mesmo para entrar no clima que regia a vida de Antonieta por aqui),  mas a essa altura do campeonato, já eram 15h e ainda tínhamos que visitar toda a parte interior do Palácio, portanto passamos meio corridos por aqui.

Só para encerrar esse post, deixamos vocês com o Templo do Amor, um templo todo ornado com mármores e com estátua de Deschamps, que representa perfeitamente o espírito desse lugar pequeno, mas lindo que eram os Domínios de Maria Antonieta.

Templo do Amor, um dos recantos dos Domínios de Maria Antonieta

Como bem salienta o filme de Sofia Copolla, é certo que a rainha vivia uma vida de futilidades, riquezas e alienação em relação às dificuldades de seu povo, mas por outro lado o filme a retrata não somente como uma rainha, mas como uma http://www.conexaoparis.com.br/2015/02/18/quando-e-como-visitar-versailles/ mulher procurando esses prazeres simples da vida, e fugindo da suntuosidade de Versalhes.

Era aqui, em seus domínios, que Maria Antonieta encontrava essa simplicidade tão contraditória em um lugar como o Palácio de Versalhes. Obviamente, todo esse escapismo lhe custou caro, mas ainda hoje reserva um pouco desses momentos a quem visita o lugar.

FICHA TÉCNICA:

Direção: Versailles
Produção: 18 €
Sessões: O horário de funcionamento do Palácio é das 9h às 17h30 (fecha às segundas). Atenção pois os Trianons e os Domínios só abrem às 12h. Os jardins e parque são gratuitos e abrem das 8h às 18h, com horário estendido até às 20h30 no verão.
Fotografia: Fabio Pastorello
O melhor: O lugar é repleto de lugares emocionantes, mas pessoalmente, os que mais me encantam são o Salão dos Espelhos e os Domínios de Maria Antonieta
O pior: Em alguns trechos, os jardins não apresentam bom estado de conservação. Fontes desligadas também são comuns, elas só funcionam nos fins de semana e em horários específicos.
Ano: 2015
País: França
Avaliação: ★★★★★

© 2015 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.

Roteiro de Viagem – Dia 6: Ile de la Cité e Notre-Dame

Sugerimos a leitura: 
Europa em 30 Dias: Roteiro pela França e Itália
Roteiros e Dicas pela Europa: Todos os Roteiros

Leia também: 
Conexão Paris: Quando e Como Visitar Versalhes
Fontes:
Marie Antoniettte Film – IMdB

Dica: Não perca nenhuma matéria dessa viagem. Inscreva-se em nossa newslettter e você irá receber um e-mail com todas as atualizações do site. 

Inscreva-se

 


>>> Você irá receber um e-mail, não se esqueça de clicar no link de confirmação.

Siga a gente nas redes sociais
Facebook YouTube Google+ Twitter Instagram
Assine nosso blog: clique AQUI e assine gratuitamente nosso blog, assim você recebe todas as nossas atualizações. Você irá receber um e-mail, não se esqueça de clicar no link de confirmação.

15 comentários

  1. Prezado Fábio,

    Estarei em visita no dia 10 de outubro a Versailles. Alguma sugestão de onde almoçar ou mesmo um lanche.
    Obrigado,

    Eliana Freitas

    1. Oi, Eliana. A sugestão é você levar alguma coisa mesmo. Existe restaurantes e cafés nos jardins do palácio, mas como era de se esperar, são mais caros do que se você comprar fora. Mas também não é nenhuma exorbitância. Abraços.

  2. Olá Fabio,
    Obrigada pelas dicas valiosas… Vou em Dezembro e queria saber se existe audio ou visita guiada no palacio? E tbm como pegar o RER?
    Obrigada.

  3. Olá Fábio! É possível ir a versailles de uber ou Taxi por exemplo? Irei em janeiro, beeemmm frio, sabe me dizer o horário de funcionamento no período de janeiro? Obrigada! Amei seu post!

    1. Oi, Joice. O horário de funcionamento na baixa estação é das 9h às 17h. Existe restrição de acesso ao parque, somente em casos de neve ou ventos violentos. Acho que é possível ir de táxi ou uber, mas imagino que deve ficar bem caro. Tem uma empresa de passeios chamada França entre Amigos, com motoristas brasileiros, pode ser uma opção interessante hein? https://francaentreamigos.com.br/produto/passeios-em-paris-e-sua-regiao/passeio-ao-castelo-de-versailles-com-motorista-e-guia-brasileiro/ Abraços.

  4. olá
    tenho 5 dias em paris apenas, acha que vale a pena reservar um para versalhes ou melhor curtir paris, considerando que 1 dia já esta reservado para a disneyparis.
    obrigada

    1. Oi, Suelly. Essas decisões do que fazer são muito pessoais, por isso é interessante você ver as fotos e conteúdo do post e analisar o quanto você deseja conhecer o lugar. Apesar de Versailles ser um lugar lindo, como envolve quase 1 dia inteiro de viagem, eu optaria mesmo por ficar em Paris, pois há muito o que fazer na própria cidade. Abração.

  5. Olá, Parabéns pelo post. Peguei suas dicas quando fui a Cancun ano passado e foi tudo ótimo. Bom, sobre o Domínio de Maria Antonieta, a visita se resume aos seus jardins ou podemos entrar na residência também??Estou pensando em visitar só o palácio e o Domínio de Maria Antonieta ( o trianon é mais fraco como vc disse) pra aproveitar melhor o tempo, o que vc acha? É melhor trenzinho ou bike pra ir do Palácio ao Domínio??
    Muito Obrigado!!
    Abração

    1. Olá, Antonio. Ficamos muito felizes de você retornar ao blog para a sua próxima viagem. Vamos lá. Dá para entrar na residência também, mas sinceramente não achei muito interessante, o melhor mesmo são os jardins. Acho uma boa você explorar mesmo o Palácio e os Domínios, se sobrar vc visita o resto, senão já está de bom tamanho. Com o trenzinho você anda menos, pois dá para pegar ao lado do Palácio mesmo. Para andar com a bicicleta, você precisa fazer uma caminhada de uns 20 minutos até o lugar onde eles alugam a bike. Como não usei o trenzinho, fica difícil eu te auxiliar na decisão, mas pense nessa caminhadinha e se você não estiver afim, o trem será a melhor decisão. Abraços.

  6. Adorei as dicas! Obrigada por nos presentear com conteúdos tao ricos. Ficarei 4 dias em Paris em dezembro chegando na sexta pela manha. Como Versalies fica cheio no fds e fecha segunda, pretendo ir na sexta mesmo. Vc acha perigoso para uma mulher sozinha alugat uma bike por lá?

    1. Oi, Renata. Dentro de Versailles, acho que não há perigo algum, principalmente porque há muita gente circulando com as bikes também. Por via das dúvidas, é melhor evitar lugares desertos. Abração.

  7. olá tudo bem! Parabens, ótimo post!
    Gostaria de saber se o bilhete de RER tem validade, por exemplo para ir a Versailles se eu comprar o bilhete de RER ja tenho que usar naquele dia?
    Obrigada

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.