Suíça: Jungfraujoch e o Topo da Europa

share on:
Sui25CC2581c25CC25A7a-Jungfraujoch_407

Jungfraujoch, um dos lugares mais incríveis e cinematográficos que eu já visitei, na Suíça. Minha história de paixão com o Jungfrau e com a Suíça começou em 1996, quando comprei uma revista que tinha o destino na capa.

Depois de paquerar tanto esse destino, foi só em 2008 que resolvi viajar sozinho para lá. Mas foi uma paixão tão grande que resolvi repetir a viagem em 2010, dessa vez levando mais duas pessoas, para apresentar as belezas que tinham me fascinado em 2008. E ainda tenho muita vontade de voltar.

O destino mais impressionante de minha passagem pela Suíça foi a região de Interlaken e a estação de trem Jungfraujoch, a estação mais alta da Europa. Tão alta que depois de atravessar o interior de uma montanha, você sai num lugar onde há neve o ano inteiro, até mesmo no verão.

Prepare-se para conhecer conosco o Topo da Europa.


Duas Vezes na Suíça: Jungfraujoch

Como Chegar ao Topo da Europa

Suíça - Jungfraujoch Jungfrau | Alpes Suíços
Visão impressionante das montanhas do complexo de Jungfrau

A Primeira Vez na Suíça

Em 2008, havia chegado a época das minhas férias do trabalho e não tinha arranjado companhia para viajar comigo.

Depois de tanto tempo viajando acompanhado, rolava um certo receio de viajar sozinho novamente, principalmente passando duas semanas no exterior. Acabei escolhendo a Suíça, um lugar que estava nos meus planos há muito tempo, desde que eu comprei uma revista que falava sobre as maravilhas do país.

A Suíça parecia ideal, um país de transporte eficiente e de belezas naturais impressionantes. E de fato é um lugar perfeito para se viajar sozinho, já que toda a infraestrutura é muito amigável, principalmente os trajetos de trem, o que torna a circulação pelo país inteiro extremamente fácil. Mas o ponto alto foi minha viagem até o Jungfrau, considerado o Topo da Europa.

A Segunda Vez na Suíça

Dois anos depois, em 2010, eu tive que levar o Cleber para conhecer. Eu havia voltado tão empolgado e fascinado pela Suíça, que inicialmente o que era para ele um destino sem relevância, virou uma necessidade.

Entre uma viagem e outra, e durante as duas viagens, vou contar o relato dessas minhas duas passagens pela Suíça, com algumas informações sobre o que fazer por lá, dicas e roteiros de passeios nesse país incrível, que ainda hoje fica na minha memória e nas minhas constantes vontades de retornar a ele.

Chegada no Aeroporto de Zurique, na Suíça

Chegamos em Zurique por volta das 19h30, estávamos vindo da Grécia eu e Cleber e lá encontramos nosso amigo Alex, que estava vindo do Brasil.

 

Onde Ficar na Suíça

Durante nossa fase de planejamento, pensei muito onde ficar hospedado.

A vantagem da Suíça é que, onde quer que você fique hospedado, a distância é curta entre um destino e outro.

Berna

  • Nós ficamos em Berna, capital da Suíça, pelo fato de ser mais central. De Berna, estávamos a cerca de 1 hora de distância de Zurique ou de Interlaken, mais ao sul da Suíça.
  • Assim, logo que chegamos em Zurique, pegamos o trem direto para Berna e pernoitamos por lá. Em Berna, ficamos no Hotel Pension Marthahaus, que reservamos através do Booking.com.
  • O hotel foi meio difícil de encontrar quando chegamos, por isso, é aconselhável pegar um táxi na chegada.O hotel é simples, mas confortável, bom café da manhã e localização bastante tranquila. Recomendo.

Consulte outras opções de hospedagem pelo Booking.com

Suiça Onde Ficar: Berna
Berna, capital da Suíça, pode ser uma das opções de hospedagem

Lucerna, Interlaken e Zermatt

Em 2008, durante minha primeira passagem por lá, minhas opções de hospedagem foram em Lucerna, Interlaken e Zermatt, todas ótimas opções de permanência.

A mais encantadora foi Zermatt, uma pequena e simpática cidade à beira do Matterhorn, a montanha mais famosa da Suíça e que estampa a embalagem dos chocolates Toblerone. Mas isso abordaremos em uma outra matéria.

Interlaken: cidade base para conhecer o Jungfrau

Mas o assunto dessa postagem foi mesmo nossa passagem pela cidade de Interlaken e ida até o Jungfrau.

Em 2008 fiquei hospedado em Interlaken, no Hotel Rössli, que reservei através do Booking.com.

Sugerimos a leitura:O que fazer em Interlaken 

O lago Thunersee e a cor da água impressionante, banhando a cidade de Interlaken
Interlaken é uma ótima opção de hospedagem, uma cidade agradável onde é possível fazer passeios de barco ou ir até o Schynige Platte, uma montanha acessível por teleférico com ótimas vistas da cidade.
Mas não é preciso subir às alturas para já avistar a neve em Interlaken. De vários pontos da cidade é possível ver as montanhas que rodeiam a região, em vários pontos nevados. É nesse ponto que eu me dei conta: estou na região dos Alpes.

Apesar das atrações de Interlaken, que incluem até mesmo esportes radicais, o objetivo principal de quem vai até lá é subir até o Jungfraujoch, um circuito que alcança o cenário composto de três montanhas: os picos Eiger (3.970m), Mönch (4.099m) e o Jungfrau (4.158m). É nele que os visitantes encontram a estação de trem mais alta da Europa, também chamada de Topo da Europa, e situada a 3.454 metros de altitude. 

Trem para Jungfraujoch – Preço, Trajeto e Duração

Os trens para o Jungfraujoch partem da estação Interlaken Ost (Interlaken Oeste) da cidade. Se você estiver em Interlaken West, é possível alcançar a outra estação em cerca de 20 minutos de caminhada, atravessando a cidade, que não é muito grande. Ou pode ir de trem mesmo.

Quanto Custa

A partir de Interlaken Ost começa nossa viagem até o Jungfraujoch. Se você tem o Swiss Pass, tem desconto na tarifa (de 25% a 50%) e deve comprar a passagem a partir de Lauterbrunnen ou Grindelwald. A viagem é um pouco cara, custa CHF 180,00 ida e volta e inclui todas as experiências no alto do Jungfrau. Com 50% de desconto graças ao Swiss Pass, a passagem custaria CHF 90,00. A passagem permite que você desembarque e embarque novamente em qualquer um dos pontos do trajeto. 

Assim como nas outras passagens de trem, é possível conferir pela internet todas as informações sobre o trajeto

No quadro acima, vemos as informações sobre o trajeto, tempo de viagem, hora de partida e chegada (o primeiro trem sai às 06h35) e quantidade de trocas de trem necessárias (você terá que trocar de trens em 2 localidades: Lauterbrunnen ou Grindelwald e em Kleine Scheidegg).

 

Como Comprar a Passagem para Jungfraujoch

A passagem pode ser comprada em qualquer ponto de vendas da SBB e não necessariamente no local de embarque. Ou seja, você pode comprá-la em Interlaken, Berna, Zurique, onde quer que esteja hospedado ou seja mais fácil para você. Assim você chega no dia do embarque já com a passagem comprada, é só embarcar.

No mapa abaixo, é possível conferir o circuito de trem até Jungfraujoch. Existem 2 trajetos, ambos com praticamente a mesma duração. Em um deles, você irá passar por Lauterbrunnen (trajeto azul no mapa) e outro você irá passar por Grindelwald (trajeto verde). Em qualquer um dos trajetos, a convergência é na estação Kleine Scheidegg, de começa o destino final até o topo do Jungfrau. Como o trajeto e o preço é o mesmo, vale a pena ir por um caminho e voltar pelo outro. 

Jungfrau Suíça - Topo da Europa
Visualizar Jungraujoch em um mapa maior

O caminho de trem é maravilhoso, atravessando uma região conhecida pelo Alpes Berneses.

Lauterbrunnen

Fomos pelo trajeto via Lauterbrunnen. São 30 minutos de Interlaken até Lauterbrunnen, sempre com vistas maravilhosas do rio, das casas suíças e da paisagem montanhosa agradabilíssima.

Fiquei um pouco frenético, é tanta coisa linda no caminho que dá vontade de fotografar tudo. Todas aquelas paisagens de cartão postal passam diante dos seus olhos e tudo o que você quer é guardar aquilo através de fotografias, ao invés de simplesmente guardar na memória.

Mas tudo chegou próximo do inacreditável quando eu vi a cena fotografada abaixo. Uma cidade localizada entre montanhas belíssimas, com casas de madeira e telhados tipicamente suíços, as montanhas nevadas ao fundo da paisagem e uma belíssima cachoeira desaguando bem no meio da cidade. Impossível? Não, na Suíça essa paisagem existe. Minha emoção foi enorme, mas o melhor ainda estava por vir. 

Lauterbrunnen Jungfrau - Alpes Suíços
A linda e bucólica Lauterbrunnen e sua incrível cacheira no meio da cidade

A Suíça Cinematográfica

As paisagens são de fato cinematográficas. Filmes como a série Guerra nas Estrelas, de George Lucas (Star Wars: Episode III – Revenge of the Sith, 2005) e A Bússola de Ouro (The Golden Compass, 2007) tiveram cenas gravadas na região de Grindelwald, por onde passa o trem para Jungfraujoch. Embora muito desses filmes seja feito em computação gráfica, é certo que paisagens como as montanhas dos alpes suíços fazem parte do imaginário cinematográfico. 

007 e o Piz Gloria

O filme “007 – A Serviço de sua Majestade” (On Her Majesty’s Secret Service, 1969), com o 007 da época George Lazenby, é o filme com maior quantidade de locações nessa região. As locações vão de St. Moritz, do Piz Gloria, Grindenwald, Lauterbrunnen, Interlaken até o próprio Jungfrau. Uma das curiosidades é que todo ano algumas montanhas suíças são dinamitadas para eliminar o risco de avalanches. A equipe aproveitou um desses eventos para filmar uma cena no local. O restaurante Piz Gloria também teve seu nome em função do filme, e o término de sua construção foi financiada pela equipe do filme.
Cena do filme de 007 gravada no Piz Gloria, na região de Interlaken
O filme é o único da série 007 inteiramente ambientado e rodado na Europa. Esse também é o primeiro filme em que o personagem 007 esquia na neve, aliás o filme é famoso pelas sequências de perseguição na neve e de diversos esportes relacionados.
Cenas de filmes com locações nos Alpes Berneses, na Suíça

Wengen e Kleine Scheidegg

Depois de passar por Lauterbrunnen, o caminho começa a ficar cada vez mais íngreme e subimos cada vez mais e, se antes estávamos na base das montanhas, em poucos minutos já enxergamos elas de igual para igual. É o momento de fazer uma parada na estação de Wengen, onde também é possível desembarcar e fazer uma parada.

No entanto, se o trem estiver relativamente vazio, aproveite para fazer o trajeto todo até Kleine Scheidegg. Se estiver cheio, talvez valha a pena descer em algumas das estações e aguardar o próximo, quem sabe mais vazio.

O próximo trecho do passeio é o momento em que finalmente encontramos as montanhas de perto. O encontro é emocionante. A imponência do monte Eiger, com suas bases rochosas e o topo repleto de neve, é de tirar o folêgo. As montanhas se encontram do lado direito do trem. Tão emocionante que praticamente tirei a mesma foto, seja em 2008, seja em 2010.

Eiger Jungfrau - Alpes Berneses
O encontro emocionante com o monte Eiger, em junho de 2008
Jungfraujoch Suíça - Top of Europe
E o encontro repetido, novamente emocionante, em 2010

Última parada de trem antes de entrarmos dentro das montanhas. Kleine Scheidegg fica a 2.061 metros de altitude. Em 1936, quatro escaladores da montanha Eiger foram mortos nesse paredão, sob o olhar de vários visitantes.

Depois de todas essas paisagens que eu tinha visto de dentro do trem, é lógico que essa região merece uma conferida. Por isso, na hora que você descer para pegar o outro trem até o Jungfraujoch, aproveite para caminhar um pouco pela região e aguarde uns 30 minutos para pegar o próximo trem.

Uma outra vantagem de fazer essa parada no meio caminho é que você também vai se aclimatando com a altitude. Muitas pessoas que sobem até o topo da montanha passam mal ao chegar lá, portanto se você fizer uma parada no meio do caminho e andar um pouco, é possível que os efeitos diminuam. Pelo menos comigo funcionou e não tive nenhum problema lá em cima. 

 

Parada Estragética

 

Dali para frente, você enfrentará uma subida de 1.400 metros em 50 minutos. Dos nove quilômetros do caminho, sete são percorridos dentro de um túnel, portanto as vistas panorâmicas acabaram aqui em Kleine.

Nessa parada, você pode descer, caminhar pelas trilhas na base das montanhas e tirar vários retratos com a paisagem. É um lugar cinematográfico, definitivamente.

Estação de Kleine Scheidegg Suíça
Estação de Kleine Scheidegg

Pronto, tanto em 2008 como em 2010 eu optei por explorar essa região e não me arrependi. A região é cheia de trilhas, que você pode percorrer curtindo um pouco mais das montanhas e relevo fantástico do lugar. Eu fiquei com muita vontade de explorar, tanto que em 2008, parei aqui na ida e na volta do Jungfrau.

 

Trecho Final da Subida

Depois de curtir um pouco a Kleine Scheidegg, você está apto para finalmente subir no próximo trem, que vai entrar em um túnel cravado no meio do monte Eiger, percorrer o interior dos montes Eiger e Mönch e finalmente sair no alto do monte Jungfrau.

Alpes Suíços
O túnel na parte inferior esquerda da imagem é o acesso pelo interior do Monte Eiger, para o alto do Jungfrau

Chegada no Topo da Europa – Jungfraujoch

A Jungfrau Railway, uma obra pioneira de engenharia, começou a funcionar em 1912. É incrível imaginar que em 1893 alguém teve essa ideia, de construir um túnel através das montanhas para chegar ao pico de uma delas, mas fico feliz que ela tenha ocorrido.

Em 1896 as construções começaram e, como não é difícil de se imaginar, as construções foram lentas e trabalhosas, uma estação por ano era concluída. Infelizmente, seu idealizador, Adolf Guyer-Zeller, morreu antes das obras estarem finalizadas. O projeto inicial iria só até Eismeer, uma das estações no caminho até Jungfraujoch, mas o projeto foi ampliado e depois de 9 anos e vários problemas de execução, finalmente concluído.

Toda essa história é contada através de um vídeo, dentro do trem. O trajeto até o topo, como já mencionamos, dura cerca de 1 hora e faz algumas paradas no caminho. São paradas de alguns minutos, para que os viajantes possam se acostumar com a altitude. Além das paradas do trem, existem duas estações no caminho, onde é possível descer e admirar a vista prévia da região. São elas as estações de Eigerwand (Eiger Wall) & Eismeer (Sea of Ice). 

 

Eigerwand

Na estação de Eigerwand, antigamente havia apenas uma cerca, mas para tornar a visita mais segura, foi substituída por uma camada de vidro. Apesar do vidro, a emoção de estar dentro da montanha e o contato próximo com a neve valem a pena. É possível desembarcar na estação, tirar algumas fotos e voltar para o mesmo trem, pois a parada é de cerca de 5 minutos.

Jungfraujoch Suíça - Top of Europe
A visão de dentro da montanha e através de uma parede de vidro já é impressionante

Finalmente, desembarcamos em Jungfraujoch, a estação de trem mais alta da Europa.

Jungfraujoch – O que Fazer

Lá em cima, há algumas coisas para se fazer.

A primeira e mais imprescindível delas é ir conferir o terraço do Sphinx, o ponto mais alto de lá, onde você irá alcançar a altitude de 3.571m, com a vista espetacular para toda o pico do Mönch, de 4.099m. Para chegar lá, é preciso pegar um elevador.

Jungfraujoch Suíça - Top of Europe
Mapa do Jungfraujoch. Fonte: www.swissholidayco.com

Antes de sair, no entanto, é bom tomar as providências para estar bem agasalhado. Já nas estações que paramos anteriormente, era possível sentir que a temperatura havia caído bastante, mas no alto da montanha, pegamos temperaturas próximas de zero.

Para garantir que você esteja aquecido lá no topo da Europa, é bom utilizar roupas aderentes ao corpo, como roupas de segunda pele, tanto nas pernas como no peito, por debaixo dos agasalhos. Usar duas meias também ajuda, já que o pé é uma das partes mais frias do corpo e também a parte que terá maior contato com a neve da região. Finalmente, é essencial o uso de um casaco impermeável, de material que bloqueie totalmente a entrada do vento e a saída do calor. Luvas e cachecóis também são importantes, embora seja possível sobreviver sem elas no verão. Óculos escuros, protetor solar e tênis/sapato/bota de solado alto são extremamente aconselháveis.

Pronto, atravessamos a porta e sentimos o frio chegar. Mas quem se importa com o frio, quando visualizamos uma paisagem inesquecível, absolutamente cinematográfica. O terraço do Sphinx garante várias vistas impressionantes da região, e apesar de um pouco lotado, basta um pouco de paciência para conseguir um lugarzinho na grade e poder fotografar com calma a região.

Aletsch Glacier

O que mais impressiona é a visão para o Aletsch Glacier, com impressionantes 22km de extensão.

É a mais longa geleira (glaciar) dos Alpes e é considerado patrimônio da humanidade pela UNESCO. “Geleira (português brasileiro) ou glaciar (português europeu) é uma grande e espessa massa de gelo formada em camadas sucessivas de neve compactada e recristalizada, de várias épocas, em regiões onde a acumulação de neve é superior ao degelo. É dotada de movimento e se desloca lentamente, em razão da gravidade, relevo abaixo, provocando erosão e sedimentação glacial.” (Fonte: Wikipedia)

Jungfraujoch - O que Fazer
Mirante do Sphinx com um mapa indicando os picos que você vê na paisagem
Jungfraujoch Suíça - Top of Europe
A visão inesquecível do Glacier Aletsch e as montanhas, no alto do Sphinx
Jungfraujoch - O que Fazer
O terraço um pouco lotado e as montanhas ao fundo

 

Caminhar na Neve

Além das paisagens impressionantes do alto da Sphinx, o que é mais legal aqui no Jungfraujoch é poder caminhar na neve. Ou seja, o lugar não é só panorâmico, como também sensorial. Da primeira vez, em 2008, nem fui com sapatos adequados, fui com um sapatênis que ficou todo molhado e de tempos em tempos eu entrava na parte interna da estação para secá-lo com o aquecedor. Da segunda vez, fui com um tênis de solado mais alto.

De qualquer forma, os caminhos são aplanados e convém não sair da trilha, pois a neve pode ser traiçoeira. Aparentemente, é possível caminhar nela, mas de repente você pode afundar e em alguns trechos pode até haver buracos de gelo ocultos pela neve. Então, é aconselhável não desviar do caminho traçado.
Andar na Neve na Suíça
O caminho aplanado permite que você caminhe com segurança pela neve
Neve na Suíça no Verão
Sphinx, no alto da montanha, terraço onde estávamos admirando as paisagens
A caminhada da base do Sphinx vai até o Mönchsjoch Hut (1h de caminhada), um ponto de apoio para os montanhistas. Por isso, até mesmo para quem não vai escalar as montanhas, é possível ter esse gostinho de chegar lá e se sentir mais perto dessa natureza espetacular.
Montanha Jungfrau - Suíça
Mönchsjoch Hut, base para os montanhistas
Como disse, a experiência não é só panorâmica, mas sensorial, por isso vale a pena brincadeiras com a neve

Palácio de Gelo

Finalmente, de volta ao interior do Jungfraujoch, você encontra o Palácio de Gelo, um lugar 20 metros abaixo da neve, onde passagens subterrâneas dão acesso a galerias e estátuas de gelo. Só tome cuidado para não escorregar no gelo ou grudar no gelo, rs, mas pode encostar e tirar fotos à vontade.
Jungfraujoch - Palácio de GeloJungfraujoch - Palácio de Gelo
O lugar conta, a partir de abril de 2012, com o Alpine Sensation, uma experiência de luzes, imagens e música. Como da última vez que estive foi em 2010, ainda não tive oportunidade de conferir.
E assim terminou nossa visita ao Jungfraujoch. No retorno, ainda desci em Kleine Scheidegg e Lauterbrunnen, para conferir de perto aquela cachoeira no meio da cidade. Mas isso é assunto para um próximo post, além de comentarmos mais sobre as opções do que fazer em Interlaken.
Somente para recapitular, vamos ver passo a passo, como chegar ao Jungfraujoch.

Passo a passo: como chegar no Jungfraujoch

1 – Hospede-se em Interlaken ou em uma cidade próxima, que permita que você viaje e volte no mesmo dia até Interlaken. Em 2008, fiquei em Interlaken, e em 2010, nós ficamos em Berna, 1 hora de distância de Interlaken.
2 – Compre o Swiss Pass para poder circular livremente de trem pela Suíça.
3 – Compre a passagem até o Jungfraujoch em qualquer posto de venda da SBB, já que a viagem não está inclusa no Swiss Pass (CHF 180,00 ida e volta). Com o Swiss Pass, você tem desconto.
4 – Vá agasalhado e preparado para andar na neve, mesmo no verão.
5 – O local de embarque é na estação Interlaken Ost. De lá, até Lauterbrunnen ou Grindelwald, a viagem está inclusa no Swiss Pass. A partir desses pontos, é preciso ter um ticket exclusivo para o Jungfraujoch. Chegando lá em cima, não é preciso pagar mais nada.
6 – Saia cedo, para aproveitar melhor o dia. A viagem até o topo demora mais de 2h. São 4h ida e volta. No caminho até o Jungfraujoch, existem várias paradas interessantes, como Lauterbrunnen, Grindelwald, Kleine Scheidegg e Wengen. Você pode descer e subir novamente nos trens em qualquer parada.
7 – Leve remédios. Lá em cima, você pode sentir alguns efeitos colaterais por causa da altitude, como falta de ar, dor de cabeça e até enjôo.
8 – Leve água e um lanche. No Jungfraujoch existem várias opções de restaurantes e cafés, mas obviamente os preços não são nada convidativos.

FICHA TÉCNICA:

Título: Jungfraujoch – Top of Europe
Direção: Alpes Berneses, Suíça
Produção: Jungfraubahn – Jungfrau Railway. A passagem custa cerca de CHF 180,00 ida e volta.
Fotografia: Fábio Pastorello
O melhor: O caminho todo é impressionante, desde o contato inicial com o Monte Eiger em Kleine Scheidegg até o mirante no alto do Sphinx, mas o melhor mesmo é a oportunidade de ter contato com a neve mesmo estando no verão.
O pior: A viagem é cara e extensa, principalmente no trecho final, e alguns podem sentir o efeito da altitude.
Ano: 2008 e 2010
País: Suíça

Avaliação: ★★★★

Sugerimos a leitura a seguir: O que fazer em Interlaken 

© 2013 Fabio Pastorello. Todos os direitos reservados. A reprodução de textos e/ou imagens não é permitida sem prévia autorização do autor.
Nota: Esse post contém links para sites afiliados (Booking.com) 

share on:
Fabio Pastorello

Fabio Pastorello

Editor do Viagens Cine, fotógrafo e videomaker. Curte cinema e leva a vida e as viagens com toques de romance, drama e aventura. Formado em Letras, ex-bancário e muito mais feliz como blogueiro. Em 2015, Fabio e Cleber ficaram noivos em Paris após 10 anos de relacionamento e em 2016 se casam e partem para a lua de mel no Caribe e Califórnia.

34 Comments

  1. Não me lembro da senha da conta do google, mas vou tentar como anônimo para elogiar o post mais elucidativo sobre Interlaken. Parabéns!!!
    Beijos, Grazi

  2. Fábio, sensacional o post!!!!! Estou indo dentro de alguns dias pra Interlaken e mal posso esperar!!! Vou no inverno mas tomara que pegue dias bonitos tipo os que você pegou quando foi!!! Excelente blog! Parabens!

  3. Fábio, querido! =D

    Mais uma vez, seu post está sensacional. Conta todos os detalhes da viagem e dá dicas, mas de forma bela e muito bem fotografada!
    Irei para a Suíça na 2ª quinzena de março/2014. Ficarei 18 dias a trabalho (hospedada em Bern, mas trabalhando em Konolfingen) e depois, penso em ficar mais uns 5 dias para conhecer um pouquinho do país.
    Assim, queria dicas para montar um roteiro, por gentileza. Zurique e Bern, eu visitarei em uma folguinha que surgir durante os outros dias! hehe Mas, nesses 5 dias de passeio, pensei em fazer Interlaken (com "Top of Europe", claro), Lucerna, Zermatt. Você acha possível ou um roteiro meio apertado para 5 dias? Tem outra sugestão legal ou algum lugar imperdível? Você foi para Zermatt também, né!? Chegou a pernoitar por lá, e o que achou?

    Muito obrigada pela ajuda, como sempre!
    Abraços!

  4. Oi, Ana. Tudo bem? Que bom, mais uma vez obrigado pela força. Olha, eu sou suspeito para falar da Suíça, pois apesar de cara, é um país que eu adoro. Eu amei Zermatt, super recomendo, é uma cidadezinha bem típica do que é a Suíça. Vale sim um pernoite por lá. Lucerna também vale a pena. Semana que vem vou publicar mais uma parte do meu roteiro pela Suíça, já estava no forno, mas vou dar uma apressadinha nisso. hehehehe… Mas eu recomendo 2 pernoites em Zermatt e 2 pernoites em Lucerna. Interlaken talvez você possa conhecer hospedada em Berna mesmo, em algum fim de semana, embora a cidade seja uma graça e também mereça pelo menos 1 pernoite. Abraços e vamos nos falando!

  5. Fabio, um muito obrigado por este post tão completo… Eu ansiava por isto desde que decidi ir para o Jungfraujoch. Gostei de saber as dicas do calçado e da roupa, bem como das estações, onde parar. Parabéns! Você ajudou bastante no roteiro que estou montando!

  6. Que ótimo, Thiago. Também fiquei com essa dúvida de calçado e roupa quando fui para lá, por isso resolvi compartilhar. Em breve vou colocar mais conteúdo sobre a Suíça, acompanhe. Abração e obrigado pelo comentário.

  7. Olá! Adorei seu post! Parabéns!!! Eu devo ir na segunda quinzena de março. O que vc sugere quanto a Interlaken: 2 noites e 2 dias inteiros são suficientes? ou menos? ou mais?

  8. Olá, Helga. Eu creio que sejam suficientes sim, embora em 3 dias você teria mais tranquilidade para conhecer a região. Fazer um passeio de barco e conhecer o Harder Kulm são alguns dos passeios que você pode fazer por lá, além do próprio Jungfraujoch. Abraços.

  9. Oi Fábio! Estou por aqui de novo.
    Temos o mesmo gosto em relação às viagens.
    Quase sempre que planejo um roteiro vejo que já foi pra lá e acabo pegando informações valiosas por aqui.
    Depois de uns dias na Itália eu e minha noiva passaremos pela Suíça, em maio. Reservei quatro ou cinco dias na região de Interlaken (no vilarejo de Lauterbrunnen ou Wengen), pra aproveitar um pouco mais da região e ter maiores chances de dias de sol. Gosto da vida bucólica, da perfeição das cidadezinhas alpinas e passo meu tempo disponível planejando viagens em busca de belos cenários. Apenas planejando curtas viagens, pois sei que provavelmente nunca viverei num lugar desses, mas já está bom… hehehe
    Bem, isso explica o porquê de escolher Interlaken.
    Como todo viajante em princípio de carreira, às vezes queremos abraçar o mundo.
    Vamos embora por Genebra, e isso atiçou (e muito!) minha vontade de visitar o Mont Blanc, em Chamonix, o que me forçaria, talvez, a tirar um ou mais dias de Interlaken.
    Agora que eu te faço a pergunta difícil e, talvez, "irrespondível": "o que acha…?"
    A princípio, sempre acho uma baita bobeira quando encontro fóruns de viagens com discussões do tipo "Interlaken or Chamonix?", mas a verdade é que, apesar de realmente ser uma bobeira de pergunta sem pé e sem cabeça, ajuda muito ouvir a opinião de quem já conhece os dois lugares e pode dar um pitaco a respeito da beleza dos destinos, até mesmo arriscando uma comparação.
    E por fim, uma mais fácil de responder, qual passeio te impressionou mais, Mont Blanc ou Jungfraujoch?
    Agora estou curtindo o blog pelo face.
    Desde já agradeço pela atenção de sempre.
    Um Abraço

  10. Fabio, amei o seu post! Estou com viagem programada apra a primeira semana de abril. Ja estive em Interlaken em 2008, mas nao fiz esse passeio por falta de tempo. Agora quero ir de novo e ficarei duas noites em Interlaken para aproveitar bem as belezas da regiso. Nunca vi lugar tao lindo!

  11. Noooossssssssaaaa! Que tudo! Há tempos venho planejando ir para a Suiça e quanto mais pesquiso e leio mais me entusiasmo. Não vejo a hora de partir.
    Parabéns pelo blog. Muito bem escrito, lindas fotos.

  12. Olá, Miguel. Que legal que temos o mesmo gosto e que bom que posso te ajudar no planejamento das viagens. Você vai adorar essa região de Interlaken, será ainda melhor ficar em Lauterbrunner ou Wenger, você terá esse contato mais bucólico e tipicamente suíço). Em relação a sua pergunta sobre Interlaken ou Chamonix, difícil hein? rs. Estava até conversando com o pessoal que foi comigo e houve divergências, mas vamos lá. No Jungfraujoch, eu gostei muito porque é um passeio que permite maior contato com a neve, você caminha pelas montanhas com neve, anda por dentro de um palácio de gelo, é uma experiência mais rica se você busca contato com a neve. Já o Chamonix, existe a travessia do teleférico que cruza as montanhas e você atravessa de um país para o outro que é simplesmente impressionante. Ficamos boquiabertos. Ou seja, talvez o Mont Blanc tenha sido mais impressionante, embora como contato com a neve o Jungfrau seja melhor. Mas realmente é difícil escolher entre os dois. Temos um post novo de Interlaken, depois dê uma olhada. Abração.

  13. Fabio, mais uma vez obrigado!
    Vou dar uma passada lá no novo tópico.
    Quando voltar, em maio, conto como foi.
    Abraço

  14. Muitos Parabens pelo seu blog e por suas dicas. Eu vivo em Interlaken e ainda me sinto fascinada por toda esta beleza natural. Todas as duas dicas estao fabulosas, e espero que muitas mais pessoas tenham o privilegio de vir conhecer nao so esta regiao, mas toda a Suica porque è de facto, um sonho…

    Obrigada

    Tania M.

  15. Oi, Gilmara. Obrigadão. É sempre bom usar a moeda local, mas você pode deixar para trocar quando chegar lá ou fazer um saque em terminal de autoatendimento lá na Suíça, com seu cartão internacional. O dinheiro já sairá em francos suíços. Para trocar aqui no Brasil, as taxas não são muito favoráveis para moedas de menor circulação no país. Abraços.

  16. Oi Fabio…
    Uauuu, que imagens! Só serviu para me deixar ainda mais ansiosa para a minha viagem, que será no proximo dia 13.
    Tenho uma duvida em relação a dinheiro.
    Sempre leio resenhas de pessoas que dizem que a Suiça é um dos países mais caros do mundo.
    Mas você consegue me dar uma ideia do quão caro?
    Sei que não existe apenas uma resposta para essa pergunta, pois depende muito do perfil do viajante.
    Acontece que é minha primeira viagem internacional, ainda não sei qual o meu perfil =(.
    Eu queria ter uma ideia de gasto por dia para uma pessoa "comum" que não planeja fazer compras.
    Beijos e obrigada.

  17. Oi, Ariane. Lindo né??? Imagino a ansiedade. Essa questão de gastos é realmente um pouco delicada, mas se você não planeja fazer compras, imagino que seja um pouco como eu. Acredito que você pode estimar cerca de CHF 50,00 por dia, valor que não inclui hospedagem, nem passeios, nem ingressos, ou seja, para gastos diversos como alimentação, bebidas, locomoção, etc. Depois me conta como foi. Bjs e boa viagem!!!

  18. Olá Fabio, pegando carona nessa questão, cheguei ao seu post por conta de uma dúvida com relação ao câmbio porque já me disseram que é melhor comprar aqui, outros que não, o melhor é comprar lá… 🙁
    Vc diz para sacar com o cartão internacional, mas e as taxas do cartão, não ficam mais caras do que comprar a moeda aqui em casa de câmbio ou na própria Suiça ? Enfim, por favor, me dá uma luz porque viajo na segunda-feira e já estava me preparando para comprar francos suíços numa casa de câmbio local amanhã… 🙁
    Grato e obrigado pelas informações que estão sendo muito úteis em minha viagem.

  19. Olá, @coyoterj Essa questão do câmbio é sempre um problema. Pela minha experiência, no caso dessas moedas não tão comuns como o dólar ou o euro, a oferta é pequena, você não irá encontrar franco suíço para comprar em qualquer lugar aqui no Brasil, muito menos com boas taxas. Por isso eu acho melhor trocar quando chegar lá, seja fazendo um saque com o cartão (agora com o IOF complicou um pouco mais, mas ainda assim a taxa pode ser melhor do que trocar o dinheiro em casa de câmbio, que trabalham com dólar turismo, enquanto o cartão trabalha com o dólar comercial). Abraços e obrigado pela visita.

  20. Sensacional esse post Fabiol! Estive em Interlaken em setembro/2013 e é um lugar encantador! Lindo demais. Mas fica ainda mais bonito com suas fotos. Parabéns pelo trabalho!

  21. Olá, Fabio, minha viagem será dia 29/04/2014, estou muito ansiosa. Sou fotógrafa e acho que trarei um belo material. Se possível tire-me uma dúvida por favor: vou comprar o swiss pass e vou até o Top Europeu. Hoje a passagem custa CHF 197,50. Eu terei 50% de desconto com o swiss pass? Embora você tenha explicado, mas li outros comentários e ainda continuo na dúvida. Em algum momento achei que só teria 25% de desconto. POde me ajudar? Beijos e obrigada, Andrea Polito do RJ

  22. Guri! Foi o melhor post de Interlaken e Jungrau que encontrei, pelas informações e as fotos!!! Parabéns, de verdade!
    Estamos indo para Interlaken e Jungrau no começo de outubro, para festejar meus 60 aninhos! Mas estou bem, viu, guri? Pulmãozinho de 40(no máximo). Bom, já vi que se pode descer em cada estação e dar uma "surfadinha" pelo vilarejo e pegar o próximo trem (?!). E é possível comprar a passagem já de ida e volta, sem horário marcado? E….ufa! por fim, querendo ir por um lado e voltando pelo outro, é necessário especificar na hora de comprar a passagem ou ela é válida não importando a via que se escolhe? Em Kleine é fácil localizar o trem da rota que se deseja para a volta? Obrigada, Fábio, pelo post, e pela resposta mastigadinha que sei que vc não vai me negar! Abraço e boas viagens por esse mundo! Jussara Smaniotto

  23. Oi, Andrea. Nossa, com certeza você trará lindas fotos. Em relação ao preço do Swiss Pass, fico na dúvida. Quando eu fui o desconto era de 50%, mas quando escrevi o post fiz simulações no site do Jungfrau e o desconto era de apenas 25%. Por isso, acho que as informações estão desencontradas. Depois me conte quanto conseguiu de desconto. Desculpe por não poder ajudá-la dessa vez. Abraços.

  24. Nossa, Jussara. Que legal, fico feliz que tenha gostado. Em relação às suas dúvidas, vamos lá. É possível sim comprar a passagem ida e volta sem horário marcado, e a passagem serve tanto por um caminho como pelo outro. No ticket vem especificado Lauterbrunnen (LBR) ou Grindenwald (GW), além de KS – Kleine Scheidegg, que é onde os dois trajetos se encontram. Em Kleine, os trens possuem a identificação do caminho (existem quadros afixados com os horários também), mas na dúvida pergunte para um funcionário da estação. Abraços e boa viagem e feliz aniversário!!!

  25. Olá Fábio.
    Chamo-me Filipe Lousada, sou Português,da região de Trás-os-montes e vivo na Ilha da Madeira.
    Tal como tu, também sou um apaixonado pela Suiça. A minha mulher já não me pode ouvir falar na Suiça.
    Fico contente por saber que não sou o único com uma obsessão por esse país.
    Já estive três vezes na Suiça a passar férias, e por mim voltaria todos os anos. É realmente um país encantador. Adoro a região de Interlaken, embora já tenha estado em outras zonas do país, essa é sem dúvida uma das minhas preferidas.
    Já estou a pensar e a planear o próximo regresso à Suiça.
    Se adoras montanhas, neve e chales, então, também te aconselho a visitar Zermatt (caso ainda não tenhas visitado) para ver o Matterhorn.
    Continuação de boas viagens. Quem sabe um dia aqui à Ilha da Madeira. Não é como a Suiça, mas também tem o seu encanto.
    Um abraço e tudo de bom para ti.

  26. Olá Fábio.
    Parabéns é pouco pela forma deliciosa e rica que escreve, isso sem comentar das fotos….lindíssimas.
    Há mais de 15 anos vi uma foto dos Alpes no álbum de lua de mel de uma amiga e disse para mim " um dia estarei ai", bom o dia está chegando.
    Chegarei na Suíça 09/07 e a saída será 11/07.
    Dúvida total.. Quero ver os Alpes, mas descrição de Zermatt me apaixonei. Como são poucos dias, o que acha fazer Chamonix e Zermatt? E o melhor local para ficar? Fico em Genebra para ir até Chamonix e depois me hospedo em Zermatt.? Berna também é opção?
    Novamente Parabéns!!

  27. Oi Fábio, td bom?
    Muito bom o seu post, parabéns!
    Uma dúvida: Posso comprar o ticket exclusivo para o Jungfraujoch ao chegar em Lauterbrunnen? Ou lota e é melhor comprar antes?
    Já tenho q comprar a volta com horário estipulado ou posso comprar na hora que estiver voltando mesmo?
    Vou no início de Agosto
    Muito Obrigada
    Juliana

  28. Olá, Filipe. Pois é, temos isso em comum, também amei a Suíça e por mim voltaria sempre para lá. Aliás, vi que tem muitos portugueses morando por lá, né? Eu visitei Zermatt sim (tem um post de Zermatt aqui no blog, dê uma olhada) e também adorei. E a Ilha da Madeira com certeza está nos meus planos de viagem. Muito obrigado pelo comentário. Abraços.

  29. Oi, Sandra. Vamos lá. Acho muito difícil escolher, pois adoro todos esses lugares que você mencionou, mas é preciso pensar na logística. Mas se você tem somente 2 dias, acho que seria melhor concentrar em um desses lugares: ou Genebra, ou Chamonix, ou Zermatt. O melhor é que qualquer um deles que você escolher, será maravilhoso. De Genebra para Chamonix fica mais perto, se você estiver realmente afim de conciliar 2 destinos, esses dois são uma boa opção. Abraços e super obrigado pela visita e comentário.

  30. Oi, Juliana. Eu comprei o ticket só quando cheguei lá mesmo, não há problema. O ticket você já pode comprar ida e volta, mas não precisa definir horário (eles chegam de open timetable), você pode ir e voltar no horário que desejar, você só define a data. Abraços e obrigado!

  31. Oi Fábio, tudo bem?
    Voce saberia de algum lugar para alugar roupa para visitar o Jungfrau, porque em pleno verão , só iríamos usar um dia. Estaremos lá dia 05/07!!!,
    Obrigada,

  32. Oi, Heloisa. Olha, infelizmente não conheço nenhuma opção. Mas fizemos o seguinte: compramos uma roupa segunda pele (é uma roupa que você usa por debaixo das outras e fica bem justa na pele, esquenta bem) e um casaco impermeável ou corta vento. São roupas que você com certeza irá usar em outras ocasiões, não somente para a neve. Luvas, cachecóis e gorros também são aconselháveis (mas são itens baratos). O resto usei roupas que eu já tinha, como calça jeans, blusas de lã e sapatos/tênis com a sola mais alta. Abraços.

  33. ola,
    Estou indo para Interlaken em meados de novembro, minha intenção é ver neve, como brasileiro nunca vi antes, gostaria de saber se em novembro ja tem bastante neve nesta cidade, e como é a vida noturna em Interlaken, tem bares para tomar uns gorós ?? hahahahha

    Fico agradecido se puder me responder no e-mail: tiagomsantos@live.com pois não sei se vou conseguir voltar na pagina

    Valeu

  34. Oi, Tiago. Infelizmente não respondemos por e-mail, só aqui no blog mesmo. Mas vamos lá. Em novembro já existe possibilidade de nevar. Veja nesse site. http://pt.snow-forecast.com/resorts/Interlaken/hindcasts/2013-11-17/mid . De qualquer forma, subindo até o Jungfraujoch você verá neve, com certeza. Em relação à vida noturna, sempre há lugares para tomar uns gorós, rs, mas não sei se a vida noturna é o forte por lá. Abraços.

  35. Fábio, uau!! Adorei o post, super detalhado e fácil de entender. Parabéns.
    Só me restou uma pequena dúvida, pretendo comprar o Swiss Pass, e vi que, ele vale da estação Interlaken Ost até Lauterbrunnen ou Grindelwald, certo? A partir dái, terei que comprar o ticket da passagem até Jungfraujoch em um posto venda autorizado. Isso incluiria aquelas máquinas das estações e site? Sou uma pessoa que gosta de comprar tudo antes, por segurança. Mas como eu poderei informar na máquina/site que eu tenho um Swiss Pass para ganhar o desconto?
    Você saberia informar? Se não, você comprou o seu na hora mesmo e apresentou o Swiss Pass em algum balcão de alguma estação?

    Muito Obrigada 🙂

  36. Olá Alessa. Se não me engano, você pode comprar com o desconto seja nas máquinas ou pela internet. Você compra o ingresso que tem direito e durante a viagem um fiscal irá passar para conferir os tickets. Se você não tiver o Swiss Pass para comprovar o desconto, seria multada. Que bom que gostou do post, um super abraço e obrigado!!!

  37. Olá Fábio, tudo bem?
    Li seu blog e gostei tanto que estou planejando uma viagem para Suíça com meu namorado me baseando nas suas dicas. Você pode me tirar umas dúvidas?
    Estamos bem confusos quanto ao tipo de desconto seria ideal para uma visita de 2 pessoas por uma média de 4 a 5 dias. Não sabemos se vale a pena comprar o Swiss Pass para somente esses dias, existe algum outro que possa nos atender?
    Bom, no nosso caso, chegaremos em Basel e tentaremos pegar um trem para Berna. De lá, tentaremos ir para Interlaken, pernoitar por lá e no dia seguinte fazer a viagem ao Jungfraujoch, voltando para Interlaken no mesmo dia e depois indo para Basel direto. Nessas rotas, o que seria ideal no transporte?
    Obrigada desde já e parabéns pelo blog.

  38. Oi, Flávia. Que bom saber que você curtiu. Viajar a dois para a Suíça é um sonho, vocês irão adorar.
    Em relação à dúvida do trem, lá você usará muito. Existem outras alternativas de transporte como carro, que infelizmente não posso opinar, mas o trem é o meio de transporte mais famoso e eficiente. Eu acho que vale a pena comprar o Swiss Pass de 4 dias, se vocês comprarem para os dois juntos, tem 10% de desconto. Se faltar um dia, aí vocês compram uma das passagens avulsas mesmo.
    Mas vocês podem também botar todas as viagens que farão na ponta do lápis e ver se vale a pena, mas eu compraria mesmo o passe, que aí vocês podem pegar trem à vontade sem se preocupar. 🙂
    Abraços e obrigado pela visita.

  39. Cara, que excelente publicação, paragens!, Queria sua ajuda irmão, estou indo a sucia em novembro sozinho, estava programado tudo com minha esposa e ela não poderá mais ir, vou a um curso em basel por dois dias e depois terei uns 7/8 dias livres para passear, queria saber o que você me recomenda para fazer sozinho, ja sei que interlaken é destino certo, o que mais você recomendaria? muito obrigado e grande abraço

  40. Oi, Roberto. Acho que 2 ou 3 dias em Interlaken são recomendados. Você também pode escolher ficar mais 2 dias em Zurique e 2 dias em Lucerna e/ou Berna. São todos destinos imperdíveis para se conferir. Também recomendaria Zermatt, mas é um lugar bem romântico, acho que é melhor deixar para ir numa próxima vez com a sua esposa. Abraços.

  41. Oi Fábio! Viajo pra Suíça semana que vem e seu bloq foi o que mais me ajudou até agora! Estou super aflita com a questão do câmbio! Se eu levar dinheiro daqui em reais mesmo, eles trocam lá? Ou vc me aconselha levar só dólar? Aqui tá bem caro o franco-suíço, quase igual o euro! Sou super medrosa nunca viajei pra Europa! Se puder me ajudar te agradeço muito!!! Bjs!

  42. Oi, Ana. Que bom que o blog te ajudou. Esqueça o real. Eu sugiro que você leve uma parte em dólar ou euro (que são moedas fáceis de encontrar no Brasil) e também leve um cartão de crédito habilitado para saques internacionais. Assim que você chegar no aeroporto, pode fazer um saque em moeda local. Se quiser ficar um pouco mais tranquila ainda, troque um pouco de dinheiro no aeroporto aqui no Brasil mesmo, lá você encontrará o franco suíço com mais facilidade, mas só troque o mínimo para não chegar zerada. Abraços.

  43. Olá Fábio e leitores.Estivemos na Suíça em março de 2015 e gostaria de deixar meus agradecimentos pelas dicas. Visitamos o Jungfraujoch e segui as dicas do blog que foram ótimas.Deu tudo certo e super recomendo o passeio. Enfim…obrigada.

  44. Oi Fabio…Grata por tudo isso que vc escreveu,pretendo fazer esse mesmo passeio que vc, mas ainda tenho pequenas dúvidas, poderia me orientar? Chegando em Berna, eu já compro o Swiss Pass, e espero chegar até Interlaken para comprar para Jungrfarujoch ? Vc comentou sobre ter que descer em Lauterbrunnen ou Grindelwald, e tomar o outro trem, eu já compro a passagem para Jungfrau ida e volta, ou eles mesmo já inclui? Só existe máquinas para comprar as passagens, ou tem funcionários que vende? Eles aceitam cartão de crédito para compra de passagens? Os suiços são receptivos para fornecer informações? Desculpe tantas perguntas, ainda há outras, mas fico por aqui. Grata…

  45. Oi, Lucila. Vamos lá!!!
    O bilhete do Jungfraujoch você pode comprar até pelo site deles, mas caso prefira também pode adquirir junto com a compra do Swiss Pass, em que guichê da companhia suíça de trens.
    Mas uma vez comprado, a data está fixa. Pode ser que no dia as condições do tempo não estejam boas, por isso muita gente deixa para comprar a passagem no dia da viagem, embora haja o risco do trem estar lotado, principalmente nos meses de julho e agosto.
    A passagem é para Jungfraujoch e associada com o Swiss Pass permite que você embarque e desembarque em qualquer estação no caminho.
    Existem máquinas e funcionários para vender os bilhetes, depende da estação em que você estiver.
    Sobre o cartão de crédito, puxa não me lembro, mas quase certeza que sim.
    Os suíços são muito educados e prestativos, não se preocupe.
    Abração!!!

  46. Fábio , adorei o seu blog, ele caiu como uma luva para os meus planos! Muito obrigada !!!
    Vou explicar… Vou viajar com meu marido e minha filha de nove anos, que ficou decepcionada quando soube que não iríamos à Europa no inverno….choramingando ela disse "mas mãe, eu quero ver neve!" Tadinha, morri de pena pq vamos em pleno verão ! Meados de julho…. Tudo começou com a ideia de conhecer o sul da Alemanha… Aí eu fui lendo, lendo, lendo e cada vez me encantando mais …. Enfim, como a Suíça está ali bem pertinho da Alemanha, programei 3 dias em Zurique …. MAS depois do seu blog, acho que o sonho da minha filha poderá se tornar realidade… É isso mesmo? Tem neve no final de julho la em Interlaken e Jungfraujoch ?
    Muito obrigada!
    Amélia Luz

  47. Que depoimento bonito, Amélia. Fico feliz que o sonho de sua filha possa virar realidade. Na verdade, nem sou criança, mas também realizei muitos sonhos por lá. Tem neve o ano inteiro, é importante antes de ir ver como está a condição do tempo, para vocês pegarem um dia bonito. Vocês merecem. Abraços!

  48. Adorei o post, extremamente bem explicado! 😉
    Tenho algumas dúvidas:
    Irei em novembro pra Suíça, pra ficar 5 dias, contudo, o nosso voo faz escala em Roma e meu namorado e eu estamos pensando em "abandona-lo" na Itália, ficar por lá uns 2/3 dias e depois pegar um trem pra Genebra, que é de onde partirá nosso voo de volta..
    Pois bem, considerando isso:
    Há um trem saindo de Roma e indo direto pra Genebra?
    De Genebra até o Interlaken é longe? Esse passeio dá pra fazer em quantos dias? A hospedagem lá é cara? Precisaremos do seguro de viagem da Suíça se formos de trem?
    Estou muuuuuuito na dúvida do que fazer por falta de noção de distâncias/tempo de viagem e tal..
    Agradeço desde já! :DD

  49. Oi, Jess. Fique atenta pois quando você compra uma passagem aérea e não faz determinado trecho da viagem, eles dão no-show e cancelam todos os trechos seguintes. Dessa forma, caso vocês não façam o trecho de Roma, pode dar no-show.

    Bom, mas em relação às dúvidas sobre a Suíça, vamos lá. Sobre os percursos de trem, você pode consultar o RailEuropa.com.br que lá você vê a duração, preços, etc. Às vezes pode até sair mais barato um voo low-cost. De Genebra para Interlaken são 3 horas de viagem.

    O passeio do Jungfraujoch vc pode fazer só em 1 dia, mas precisa de um pernoite ou antes ou depois. A hospedagem na Suíça é um pouco mais cara, mas pesquisando talvez vocês encontrem bons preços.

    Sobre seguro viagem, o que vc vai precisar para Suíça é o mesmo que precisará para a Europa, o do Tratado de Schengen.

    Veja bem as distâncias no site que eu te recomendei acima e espero que ajude. Abraços.

  50. Fábio, parabéns pelo post e um excelente 2016. É possível fazer este passeio entre os meses de janeiro e fevereiro ? Um forte abraço, Luís

  51. Olá, Fábio!!
    Muito obrigada pela atenção! Estamos programando o nosso roteiro ainda, mas seus esclarecimentos foram de grande valia!
    Abraço.

  52. Fábio , adorei o seu blog, ele caiu como uma luva para os meus planos! Muito obrigada !!!
    Vou explicar… Vou viajar com meu marido e minha filha de nove anos, que ficou decepcionada quando soube que não iríamos à Europa no inverno….choramingando ela disse "mas mãe, eu quero ver neve!" Tadinha, morri de pena pq vamos em pleno verão ! Meados de julho…. Tudo começou com a ideia de conhecer o sul da Alemanha… Aí eu fui lendo, lendo, lendo e cada vez me encantando mais …. Enfim, como a Suíça está ali bem pertinho da Alemanha, programei 3 dias em Zurique …. MAS depois do seu blog, acho que o sonho da minha filha poderá se tornar realidade… É isso mesmo? Tem neve no final de julho la em Interlaken e Jungfraujoch ?
    Muito obrigada!
    Amélia Luz

Leave a Response